adblock ativo

Vitória tenta manter 100% contra o Feirense no Barradão

Publicado sábado, 31 de janeiro de 2009 às 20:35 h | Atualizado em 31/01/2009, 23:49 | Autor: Leandro Silva, do A TARDE
adblock ativo

O futebol não é uma ciência exata. Por isso, é tão apaixonante. Mas pode-se afirmar sem medo de errar que o principal componente capaz de aumentar a concentração de torcedores em um estádio é a rivalidade.

E é exatamente neste ingrediente que a diretoria do Vitória deve estar confiando para aumentar os ganhos com a bilheteria, neste domingo , dia 1º, às 17 horas, apesar do discurso contrário. “Eu acho que a torcida do Vitória sempre teve o costume de se fazer presente. Não acho que seja por causa do Bahia”, argumenta o vice-presidente Jorge Sampaio.

Não, ainda não é o Ba-Vi. O primeiro encontro físico entre os dois maiores clubes do Estado está marcado para o próximo domingo, no próprio Barradão. Mas neste domingo a disputa é fora das quatro linhas. Mais especificamente nas arquibancadas do Manoel Barradas, que sedia o embate entre o Vitória, com 100% de aproveitamento nas quatro primeiras rodadas do Baiano, e o Feirense.

É que logo depois da primeira rodada, quando o público da estreia do campeão baiano contra o Atlético, em um domingo, teve 7.790 pagantes, Jorge Sampaio se declarou decepcionado. E, no domingo seguinte, a torcida do Bahia colocou 18.691 pagantes para o confronto o Ipitanga, na reinauguração do Estádio Roberto Santos. No segundo jogo na Toca, contra o Poções, foram apenas 4.657 torcedores.

“Acredito que um público de 15 mil pessoas vá prestigiar o time neste domingo. E não acho que isso seja motivado pelo público do jogo do Bahia. Isso não é parâmetro para incentivar a ida ao estádio. Afinal, a torcida do rival não via o time há um ano e ainda tiveram como handicap a inauguração de uma nova praça esportiva”, explica a torcedora Fernanda Almeida.

“Não concordo com a maior parte da torcida em comparecer em peso só quando o time está bem. Com a boa atuação contra o Poções, eu acho que tem condições de encher o estádio. Não lotar, mas encher, enche”, opina o rubro-negro Matheus Simoni.

Disputa – Independentemente de reconhecerem que os tricolores estavam com uma saudade maior do time do coração, os rubro-negros não vão querer ficar por baixo e devem começar a rivalizar pelo posto de torcida mais presente, depois de um ano em que não tiveram concorrência, pois os adeptos do Bahia precisavam se deslocar para Camaçari ou Feira de Santana.

A disputa é alimentada pela bronca da torcida do Leão com a reforma do estádio de Pituaçu e com o destaque dado pela imprensa à nova praça esportiva – como foi visto em faixas de protesto no Barradão, quarta-feira.

“Tem incomodado. Infelizmente, a imprensa em geral torce pelo ressurgimento do Bahia em detrimento do apequenamento do Vitória. Seria muito saudável se simplesmente apoiassem os dois. A melhor resposta é encher o Barradão, sempre. Se os torcedores não apoiarem, quem irá? Há sete anos não temos um rival à altura. A ida de Paulo Carneiro para o Bahia e o apoio de Jaques Wagner vai influenciar muito na importância que a torcida rubro-negra vai dar ao Baiano”, conclui Fernanda Almeida.

VITÓRIA X FEIRENSE

Vitória - Viáfara; Apodi, Thiago Gomes, Wallace e Roque; Vanderson, Bida, Jackson e Willian; André Luís e Washington. Técnico: Vágner Mancini.

Feirense - Marcelo; Ueider, Valdo, Nildo e Gel; Germínio, Kekel, Marcos Neves e Dentinho; Ricardinho e Jamaica. Técnico: Duzinho.

Local: Manoel Barradas (Barradão), às 7h.
Arbitragem: Lúcio José Silva de Araújo.

adblock ativo

Publicações relacionadas