adblock ativo

Hall de entrada ganha novos objetos de decoração

Publicado sábado, 20 de julho de 2019 às 16:30 h | Atualizado em 20/07/2019, 16:09 | Autor: Priscila Dórea I Foto: Divulgação I Rodrigo Melo
As arquitetas Luíza Vasconcelos e Izabela Mota criaram iluminação direcionada para os elementos que pretendiam destacar no hall
As arquitetas Luíza Vasconcelos e Izabela Mota criaram iluminação direcionada para os elementos que pretendiam destacar no hall -
adblock ativo

O ditado 'a primeira impressão é a que fica' serve tanto para o momento em que paramos para escolher uma roupa quanto para o que as visitas irão ver na entrada de nossas casas. O hall social, seja de casa, condomínio ou empresa, é o cartão de visitas e de boas-vindas para quem visita um espaço, e o segredo para decorá-lo de forma certeira está em dar personalidade e um gostinho do que poderá ser encontrado nos cômodos além dele.

"O hall é muito mais que um ambiente de estar, é um espaço com identidade e precisa impressionar quem está passando. O mobiliário está sendo deixado de lado, e tem se investido bem mais em outros tipos de informação, como trabalhos de parede e forro, procurando criar um ambiente diferenciado", explica a arquiteta Adriana Varandas, sócia da arquiteta Adriana Lourenzo no escritório AA Projetos.

No lugar do mobiliário mais pesado, a arquiteta ainda sugere o uso de aparadores, espelhos, tapetes, obras de arte, vegetação e uma iluminação aconchegante. Mesmo que o hall social pareça ser um espaço separado da casa, ela ainda precisa, de algum forma, ter itens que sejam associados ao restante da residência ou empresa. Adriana recomenda, por exemplo, que no hall de condomínios, por ser "dividido", o ideal seja a escolha de uma decoração mais neutra e imponente, numa tentativa de evitar divergências de gostos.

A arquiteta Izabela Mota salienta que o hall de acesso de um condomínio precisa ter uma decoração atemporal, para que possa agradar a maioria dos usuários e que não precise ser constantemente alterado, minimizando custos para o condomínio. "Também é importante que haja leveza e harmonia no espaço, principalmente os menores, padronizando elementos que se repetem. As portas dos apartamentos que dividem o mesmo hall, por exemplo, devem ter o mesmo design e o mesmo acabamento".

Iluminação é diferencial

Quando em condomínios, o hall é naturalmente um lugar de espera, explica Izabela, por isso é interessante ter acentos confortáveis, e espelhos são geralmente bem-vindos, mas é a iluminação, seja ela em qualquer hall, que faz a total diferença. Sua sócia, a arquiteta Luísa Vasconcelos, explica que um bom projeto de iluminação é sempre fundamental, já que, quando o projeto é pensando, a ideia é criar um espaço de acolhimento com conforto lumínico.

O segredo é criar uma iluminação direcionada aos elementos que se pretende destacar, consequentemente deixando um pouco de lado aquilo que não quer em evidência. "Investimos em materiais que reforcem essa sensação de acolhimento. Gostamos muito de utilizar madeira ou tons um pouco mais quentes. Já no caso dos móveis, é preciso estudar caso a caso qual a funcionalidade do espaço", explica Luísa.

Um hall de acesso e recepção de uma clínica tem funcionalidades diferentes de um hall de uma casa. Tudo vai depender das necessidades e, no caso das residências, dos hábitos dos moradores. "Já fizemos alguns projetos em que os proprietários tinham o costume de não entrar em casa com sapatos, nesse caso, a existência de uma sapateira no hall é fundamental", conta.

*Sob a supervisão da editora Cassandra Barteló

adblock ativo

Publicações relacionadas