Pandemia intensifica uso de móveis usados na decoração

Venda de artigos de segunda mão teve um aumento de 48,5% no período entre os anos de 2020 e 2021, segundo levantamento feito pelo Sebrae

Publicado sábado, 16 de julho de 2022 às 06:30 h | Atualizado em 15/07/2022, 22:55 | Autor: Leilane Suzarte*
Projeto da designer de interiores Cecília Avena com artigos garimpados em lojas especializadas e antiquários
Projeto da designer de interiores Cecília Avena com artigos garimpados em lojas especializadas e antiquários -

O uso de móveis usados tem se tornado cada vez mais popular na decoração de ambientes. Durante a pandemia, a venda de produtos de segunda mão teve um aumento de 48,5% na passagem  de 2020 para 2021, segundo levantamento feito pelo Sebrae, com base em dados da Receita Federal.

Para a entidade, a compra de usados cresceu no país porque as famílias passaram a ter mais controle financeiro, também por uma preocupação maior com o meio ambiente. Além dessas questões, o desemprego e a inflação alta contribuem para que as pessoas optem por móveis usados. Seja qual for o motivo, a decoração com as peças costumam deixar o espaço cheio de charme e estilo, apontam especialistas.

É válido destacar que, na hora de escolher o móvel seminovo para decorar o ambiente, o consumidor recorra a lojas físicas especializadas, feiras, antiquários e, principalmente, a endereços na internet que oferecem facilidade na pesquisa de preços, praticidade e economia, – e o máximo de fotos possíveis. 

Na OLX, umas maiores plataformas de compra e venda  de usados do país, houve uma alta expressiva nos itens anunciados mensalmente e no número de usuários durante o ano de 2020, e pós pandemia. “A gente chegou a ter 3 milhões de produtos anunciados por mês e bateu praticamente a 50 milhões de usuários por mês”, revela Rafael Constantinou, vice-presidente de marketing da empresa.

O profissional informa também quais móveis usados ou seminovos foram mais comprados no site pelos clientes. “Hoje, o item campeão de vendas na plataforma é cama, depois vem guarda-roupa, rack e vai até o último que é painel de TV. No ranking de top 10, passa muito por sala de jantar, quarto e também por home office”, diz Constantinou. 

Reforma

Isso porque, segundo ele, depois do período pandêmico, as transformações que foram feitas dentro de casa, principalmente após a popularização do home office, repercutiu em algumas mudanças de comportamento. 

Ainda de acordo com  o vice-presidente de marketing da OLX, as pessoas passaram a valorizar móveis usados para levar uma vida, digamos, mais sustentável, e por alguns itens trazer memórias afetivas para o lar.

Sócia no escritório Singularis Arquitetura e Urbanismo, Regina Quadros fala o que pode ser aproveitado em termos de mobília usada.

“A princípio, deve-se considerar o estado do móvel usado ou seminovo como referência para identificar a possibilidade de ressignificá-lo. Em seguida, o estilo e o uso nos direciona a propor uma nova composição, onde integrado a cores, texturas e outros elementos na decoração, vai resultar em um ambiente harmônico e coerente com a proposta sugerida”, afirma Regina.

Criatividade

Outro aspecto importante também é a restauração da mobília usada, que requer calma e paciência do consumidor, pois esse processo exige cuidado e tempo, como explica  a arquiteta especialista em design de interiores, Cecília Avena.

 “É preciso  usar laca (espécie de tinta), que é praticamente um verniz natural, polimento, ou, se tiver revestimento como laminado, pode utilizá-lo também. Já nos móveis de mármores são mais difíceis de dar polimento. Se for um móvel mais caro ou raro, vale a pena tentar dar um bom polimento nele”, explica Cecília.

Dessa forma, para quem deseja comprar um móvel usado ou seminovo na decoração de sua casa, a arquiteta e urbanista e sócia também do escritório Singularis Arquitetura e Urbanismo, Simone Sampaio, dá algumas orientações: 

“É importante observar também o estado de conservação do móvel e a possibilidade de restauro, conserto ou mesmo reforma. Exemplos, uma janela retirada de uma casa pode se tornar um espelho decorativo, um gradil usado servir de apoio para um jardim vertical, um armário antigo transformar em bar, uma cômoda virar sapateira, entre outros. A criatividade é que vai dar asas à imaginação e um bom profissional para realizar faz toda a diferença”, frisa Simone. 

*Sob a supervisão do jornalista Fábio Bittencourt

Publicações relacionadas