Salvador sedia Feira da Construção Norte-Nordeste

Publicado sábado, 19 de outubro de 2019 às 13:00 h | Atualizado em 21/01/2021, 00:00 | Autor: Fábio Bittencourt

O mundo em constante transformação; as tecnologias de automação e gestão de dados – também conhecida com “internet das coisas” (ou Indústria 4.0); os novos sistemas de modelagem. Estes são só alguns temas que integram a programação da primeira edição da Feira da Construção Norte/Nordeste (Finnec), que começa na próxima quarta-feira, 23, e vai até sexta, 25, em Salvador. Com entrada gratuita, o evento acontece na Arena Fonte Nova, das 15h às 21h. Abertas ao público, as inscrições são feitas no endereço eletrônico www.finnec.com.br.

Idealizada no âmbito do Comitê da Construção Civil da Federação das Indústrias do Estado da Bahia (Fieb) – com a participação de 14 sindicatos e entidades ligadas ao setor, e mais 95 expositores, a ideia da feira, segundo os organizadores, é movimentar toda a cadeia construtiva e gerar até R$ 150 milhões em negócios.

Coordenadora-geral da Finnec, a vice-presidente do comitê, Arlene Vilpert, conta que o número de inscritos já supera a expectativa. “O objetivo é a retomada da feira da construção civil, e como a Bahia é um estado grande nessa área, é uma oportunidade de reunir o mercado do varejo, com engenheiros, arquitetos”.

“É aglutinar, criar toda uma sinergia entre fornecedores, os profissionais, aumentando a conexão entre eles, e o nível de conhecimento também”, diz.

Vice-presidente do Sindicato das Indústrias Químicas e Farmacêuticas do Estado, ela destaca que esta é a primeira feira conduzida pelo comitê da construção da Fieb; o primeiro evento “fora” do antigo Centro de Convenções; e que a expectativa é “grande, com a vinda de gente do país inteiro”.

“A programação está com um nível altíssimo, com seminário, fórum, rodada de negócios, escritório BIM”, fala.

Diretor de relações institucionais do Sindicato da Indústria da Construção da Bahia (Sinduscon), o empresário Vicente Mattos lembra que o mercado já há “três, quatro anos passa por um cenário negativo, desfavorável”, e que “em 2019 havia uma perspectiva de melhoria mais significativa e que até há sinais, mas enxergamos possibilidades maiores em 2020”.

“É um momento de inflexão. O Sinduscon realizou a feira da construção por 11 anos consecutivos, desde 2000. Quando, em 2012, já na esteira da diminuição das obras, deixou de acontecer. Então, esse evento marca o início de um renascimento, é um marco impulsionador para o setor.

“Vivemos um momento de movimento, novos pensamentos. O mundo todo está se modificando, os setores se transformando, assim como a forma de relacionamento, e a construção também está na busca por aumentar a produtividade, de conhecer outros produtos, ideias, tecnologias da chamada Indústria 4.0”.

Por meio da assessoria de imprensa, o presidente da Fieb, Ricardo Alban, afirmou que o fato de a Bahia ter sido escolhida como sede da primeira edição da feira é uma “estratégia importante, considerando o destaque do setor na produção de riquezas e, principalmente, na geração de postos de trabalho”.

“Neste momento de grandes desafios que o país atravessa, ao reunir os diversos segmentos da cadeia produtiva da indústria da construção, a Finnec traz para o estado um impulso à geração de negócios e uma oportunidade de intercâmbio entre as empresas”.

Revestimento de fachadas

A presidente do Conselho de Arquitetura e Urbanismo da Bahia (CAU), Gilcinéa Barbosa da Conceição, fala que “ações como esta ajudam a movimentar a economia, estimular negócios e parcerias, além de demonstrar que os estados do Norte e Nordeste possuem excelência na cadeia produtiva da indústria da construção”.

“Envolvendo arquitetos e urbanistas, engenheiros, construtores, profissionais especializados de áreas afins. É muito importante que Salvador sedie eventos deste porte, sobretudo da construção civil”.

Mestre em engenharia civil e professor no Senai-Cimatec, Moiseis Ferreira vai ministrar, no segundo dia do evento, a palestra Novas Tecnologias e Sistemas Construtivos para Fachadas. De acordo com ele, a apresentação tem como pano de fundo a Indústria 4.0, “e como ela vem demandando novas posturas e comportamentos de toda a cadeia”.

Ainda segundo ele, na oportunidade serão apresentadas as novidades hoje existentes nos sistemas de vedação e revestimento de fachadas de edificações, “e a ideia é a industrialização, a otimização dos processos – uma construção mais limpa, rápida”.

Publicações relacionadas