adblock ativo

25 espécies de primatas estão ameaçadas de extinção

Publicado segunda-feira, 15 de outubro de 2012 às 17:15 h | Atualizado em 19/11/2021, 05:06 | Autor: Agência Estado
adblock ativo

Vinte e cinco espécies de macacos, lêmures e gorilas estão ameaçados de extinção e precisam de ações globais de proteção contra o aumento do tráfico ilegal, advertiram pesquisadores nesta segunda-feira.

Seis das espécies ameaçadas vivem na ilha de Madagáscar, no sudeste da África. Outras cinco habitam a região central da África, cinco vivem na América do Sul e nove espécies da Ásia são listadas como as mais ameaçadas.

As informações constam do mais recente relatório da União Internacional para Conservação da Natureza e dos Recursos Naturais (IUCN), realizada pela Convenção sobre Diversidade Biológica das Nações Unidas, sediada na cidade indiana de Hyderabad.

Primatas contribuem para o ecossistema dispersando sementes e mantendo a diversidade das florestas. Segundo o relatório, preparado a cada dois anos por especialistas mundiais em primatas e que contabiliza espécies e subespécies de primatas em todo o mundo, os lêmures de Madagáscar estão severamente ameaçados pela destruição de seu habitat e pela caça ilegal, que aumentou dramaticamente desde a mudança de poder no país, em 2009.

Entre os mais ameaçados, está o Lemur-desportista-do-norte (Lepilemur septentrionalis), com apenas 19 espécimes localizados na selva de Madagáscar.

"Lêmures são, agora, um dos grupos de mamíferos mais ameaçados, depois de mais de três anos de crise política e falta de esforços em seu país, Madagáscar", disse Crhristoph Schwitzer, da Fundação Bristol de Conservação e Ciência, um dos grupos envolvidos no estudo.

"Uma crise similar está acontecendo no sudeste da Ásia, onde mudanças na vida selvagem estão levando muitas espécies à beira da extinção", disse Schwitzer.

Mais de metade dos 633 tipos de primatas estão em perigo por causa das ações humanas, como a queima e remoção de florestas tropicais, a caça de primatas para alimentação e o tráfico ilegal.

Enquanto a situação é crítica para algumas espécies, pesquisadores da vida selvagem dizem que esforços de conservação estão conseguindo remover muitos primatas da lista, agora em sua sétima edição. As informações são da Associated Press.

adblock ativo

Publicações relacionadas