Bombardeio mata jornalista russa em Kiev, na Ucrânia

Jornalista Oksana Baulina morreu após o disparo defoguete enquanto filmava os danos causados por bombardeio

Publicado quarta-feira, 23 de março de 2022 às 19:53 h | Atualizado em 23/03/2022, 19:53 | Autor: AFP
Bombardeios russos seguem fazendo vítimas civis
Bombardeios russos seguem fazendo vítimas civis -

Uma jornalista russa morreu nesta quarta-feira, 23, em um bombardeio em Kiev, a capital da Ucrânia, reportou o site The Insider, o meio digital russo para o qual ela trabalhava.

Oksana Baulina morreu após o disparo de um foguete enquanto filmava os danos causados por um bombardeio contra um centro comercial no noroeste da capital ucraniana, segundo um comunicado do próprio veículo de comunicação. Além disso, um civil morreu e outras duas pessoas que acompanhavam a jornalista ficaram feridas.

Antes de trabalhar para o Insider, Baulina foi produtora de uma fundação de combate à corrupção na Rússia. No entanto, as autoridades russas classificaram a fundação como "organização extremista", por isso ela teve que deixar o país.

Baulina continuou trabalhando sobre temas relacionados com a corrupção, desta vez para o meio de comunicação independente The Insider, que atualmente está baseado em Riga, Letônia.

Na Ucrânia, ela trabalhava como correspondente para o meio digital e realizou diversas reportagens em Kiev e Lviv, segundo o Insider, que enviou suas "mais profundas condolências" aos familiares e amigos da jornalista.

"Vamos continuar cobrindo a guerra na Ucrânia, incluídos os crimes de guerra russos, assim como os bombardeios às cegas sobre as zonas residenciais", afirmou o site independente, criado em 2013 pelo jornalista e ativista Roman Dobrokhotov.

Ao menos seis jornalistas morreram na Ucrânia desde o início da ofensiva russa em 24 de fevereiro, entre eles três estrangeiros: um cinegrafista franco-irlandês da Fox News e uma produtora ucraniana que o acompanhava, um documentarista americano, dois jornalistas ucranianos e, agora, Oksana Baulina.

Nesta quarta-feira, pelo menos dois foguetes foram disparados contra zonas residenciais do noroeste de Kiev.

Publicações relacionadas