adblock ativo

Irã afirma rejeitar oferta da UE para encerrar plano nuclear

Publicado domingo, 14 de maio de 2006 às 13:50 h | Atualizado em 14/05/2006, 13:50 | Autor: Agência Reuters
adblock ativo

O Irã disse neste domingo que vai rejeitar qualquer exigência de parar com o que chama de atividade nuclear pacífica, um dia antes do encontro de ministros do Exterior da União Européia (UE) para debater incentivos e punições para coibir as ambições atômicas de Teerã.



"Qualquer proposta que nos obrigue a parar com as atividades (nucleares) pacíficas não terá valor e não será válida", disse o presidente do Irã, Mahmoud Ahmedinejad, em discurso transmitido pela televisão estatal.



Ele acusou os europeus de viverem em um "mundo colonialista" e disse que Teerã não aceitará as decisões tomadas em Bruxelas.



"Se eles querem decidir coisas que nos envolvem em um lugar onde não estamos presentes, então esse organismo não tem nenhuma validade legal, nem credibilidade para tomar decisões", disse Ahmadinejad.



Uma proposta de comunicado para o encontro dos ministros europeus na segunda-feira obtida pela Reuters afirma que o bloco está disposto a ajudar Teerã a desenvolver "um programa nuclear civil seguro, sustentável e à prova de proliferação", mas insiste que o país deixe de enriquecer urânio em seu território.



Autoridades européias disseram que não está decidido se a ajuda poderá incluir permissão para firmas ocidentais construírem usinas nucleares no Irã. Segundo fontes, uma proposta neste sentido fazia parte do pacote oferecido em agosto, rejeitado por Teerã, e que também estipulava o fim do enriquecimento.



A UE quer o novo pacote pronto até sexta-feira, quando os cinco membros permanentes do Conselho de Segurança, mais a Alemanha, se reúnem em Londres. Washington exige o fim da atividade nuclear iraniana e quer que o Conselho aprove uma resolução que abra o caminho para sanções e até ação militar.



O Irã, quarto maior exportador mundial de petróleo, insiste em manter pelo menos um programa de pesquisa de enriquecimento.



"Precisamos primeiro ver a proposta (da UE). De qualquer maneira, não vamos abandonar o nosso direito. A pesquisa (nuclear) e o desenvolvimento vão continuar na agenda do Irã," disse o porta-voz do ministério do Exterior, Hamid Reza Asefi, em sua conferência semanal de imprensa.

adblock ativo

Publicações relacionadas