adblock ativo

Polícia prende 41 por exploração infantil na Europa

Publicado segunda-feira, 29 de maio de 2006 às 17:10 h | Atualizado em 29/05/2006, 17:10 | Autor: Agencia Estado
adblock ativo

Autoridades européias prenderam 41 búlgaros hoje, depois de a polícia italiana ter descoberto uma organização que explorava centenas de crianças vendidas por famílias pobres, informaram fontes oficiais.

As detenções ocorreram no norte da Itália, na Bulgária, na Alemanha e na Áustria. Outras 75 pessoas estão sob prisão domiciliar, segundo um funcionário da cidade de Trieste, no norte da Itália, que pediu anonimato.

Os investigadores acreditam que a quadrilha obrigava as crianças a cometerem roubos. Os menores eram espancados e ameaçados caso não fossem às ruas cumprir sua "cota" diária de mendicância.

Em um caso, a polícia de Veneza descobriu uma menina de 13 anos que estava grávida de oito meses. "O grupo se aproveitava do fato de que um menor de 14 anos não pode ser preso na Itália", disse Gabriele Passarotto, funcionária dos Carabinieri.

O procurador-geral da Bulgária, Boris Velchev, disse aos jornalistas que a Bulgária extraditará todos os detidos à Itália a fim de que sejam submetidos a processos judiciais neste país.

O ministro do Interior búlgaro, Rumen Petrok, afirmou que nos últimos dias, 30 cidadãos búlgaros foram presos, sendo que 28 deles em Pelven, no norte da Bulgária, um em Sófia e outro em Gabrovo, cidade da região central.

As crianças eram "reduzidas à condição de mero objeto" quando suas famílias as entregavam à quadrilha em troca de uma parte nos lucros da mendicância ou de uma soma imediata em dinheiro vivo.

Os integrantes do grupo foram acusados de escravização, tráfico de drogas e tráfico de imigrantes ilegais. Em uma investigação sobre duas das crianças, surgiram evidências de que a quadrilha comprava meninas para que fossem usadas como prostitutas.

adblock ativo

Publicações relacionadas