adblock ativo

Editorial - Vacina é bom negócio

Publicado quinta-feira, 13 de janeiro de 2022 às 00:30 h | Atualizado em 12/01/2022, 23:32 | Autor: Da Redação
Exigir dos clientes
 a apresentação do passaporte de vacina 
é consciência para afastar o iminente perigo de retrocesso
Exigir dos clientes a apresentação do passaporte de vacina é consciência para afastar o iminente perigo de retrocesso -
adblock ativo

Transcende à determinação pelo governo estadual o apoio de donos de bares e restaurantes à campanha de contenção do novo avanço da pandemia, cabendo aos proprietários exigir dos clientes a apresentação do passaporte de vacina não porque precisam cumprir a lei, mas principalmente devido à consciência de contribuir para afastar o iminente perigo de retrocesso como mau negócio para todos.

Ignorar o texto do decreto seria colaborar para disseminar o Sars-Cov-2 e suas mutações, enquanto o engajamento do setor corresponde ao comportamento de cidadão responsável, sem precisar ser fiscalizado pelo poder público, expondo-se à punição se negligenciar seu dever.

Divulgada no Diário Oficial do Estado, a medida impõe a exigência do documento nos ambientes onde se pode ou precisa tirar as máscaras, considerando esta opção viável apenas para aqueles protegidos pela imunização oferecida nos postos de saúde.

A entrada seria exclusiva para a cidadania alinhada com o esforço coletivo, incluindo quem aceitou oferecer os braços visando participar do convívio social nos estabelecimentos liberados para visitação, como parques públicos estaduais e o jardim zoológico.

A instrução correta, conforme a legislação, é verificar os dados da carteira fornecida pelos servidores das secretarias municipais, logo após o momento da aplicação do imunizante, com o devido carimbo do órgão responsável, além da data e outros registros informativos.

Também poderão os frequentadores dos locais de entretenimento obter o certificado covid, por meio do aplicativo ‘Conect SUS’, uma vez ter voltado a funcionar, após supostos ataques de infratores conhecidos no jargão da internet por hackers.

É exigida a cobertura vacinal completa, com duas doses, ou a única, no caso da fabricante Jansen, liberadas as entradas de crianças e adolescentes, com apenas uma dose, e os menores entre 5 e 11 anos ainda não convocados, em esforço conjunto incluindo pais e responsáveis na empreitada para salvar vidas e evitar mais danos à economia.

adblock ativo

Publicações relacionadas