adblock ativo

Espaço do Leitor: Ainda existe esperança?

Publicado sábado, 02 de abril de 2016 às 15:36 h | Atualizado em 02/04/2016, 15:36 | Autor: [email protected]
adblock ativo

Ao ler o artigo da lavra de Ruy Espinheira, última edição, refleti sobre o quanto ali articulado. Na verdade, a matéria leva-nos a reflexões que tocam no limiar dos sentimentos de fraternidade e odiosidade. Vive o país momentos de agitação e divisão de tendências políticas, deixando no ar um clima de tragédia anunciada, ou seja, confrontos que têm suas raízes no contexto familiar e progridem para o meio social e se alastram pelas ruas. A nossa história é repleta de sacrifícios de figuras que não pretenderam ver um povo fratricida. Getúlio Vargas entrou para a história cometendo o suicídio. Jânio, até hoje tido como incorruptível, renunciou com apenas sete meses à frente dos destinos da nação. Dois exemplos que demonstram líderes em processo de desapego aos cargos supremos que ocupavam. O noticiário é repleto de desvios de conduta, corrupção, esquemas espúrios, saques em empresas importantes, contas de valores exacerbados na Suíça e o que ouvimos? Absurdas desculpas de todos os implicados. Ruy fala do "mais baixo nível de torcidas de futebol", comparando a situação atual do país com os duelos entre a "gaviões" e a "mancha"! Em outro giro, já existem os que pregam a volta da ditadura ou escolhem um oficial para eleger presidente! Não há renúncia de qualquer lado e não aparece ninguém para propor um acordão capaz de colocar o país no caminho da democracia e do pleno estado de direito! Parafraseando Ruy e João Ubaldo, digo: não pretendo ser melhor que ninguém. Mas sou brasileiro! Ernani da Silva Garcia Rosa, [email protected]

Atendimento recusado

A atitude de uma médica gaúcha recusando-se a atender uma criança pelo fato de sua mãe ser militante petista mostra o nível de mediocridade de uma pessoa. E isto leva em consideração uma questão básica que é o humanismo e que ninguém pode deixar de ajudar a quem precisa. Se é da área médica, então, a responsabilidade é a preservação da vida humana. Para isto eles fazem um longo curso e muitos estágios. Os organismos médicos não podem ficar omissos diante de tal fato. Ela merece e precisa ser punida. Para mostrar que a política partidária tem seu lugar para ser praticada. Uriel Villas Boas, [email protected]

Brasil a limpo

Fico indignado quando vejo algumas pessoas que vão às ruas protestar contra o governo. Na última que ocorreu na Barra tinha gente como motoristas parados nas imediações com babás, filhos e esposas. Muitos deles, sonegadores, usurpadores, falsos moralistas, etc. Quero deixar bem claro, não sou político, não pertenço a nenhum partido, mas convivi com o Golpe de 64, quando tinha 16 anos e vi o quanto é ruim para o povo. Principalmente para aqueles que não têm ninguém da família influente nas hostes golpistas. Lembro-me de meu pai chegando em casa chorando. Quando perguntei o porquê, ele respondeu: "Tanto fizeram que o presidente Getúlio suicidou-se". E assim foi com Jânio, Jango, Juscelino, apesar de esses não cometerem suicídio. Sempre os mesmos golpistas. Sou a favor que se faça uma investigação com todos, sem exceção. Não como essa que está aí em vigor, direcionada e muitas vezes com atitudes que desrespeitam a Constituição. Gostaria muito que os juízes que estão julgando fosse apartidários, aí, sim, passaríamos o Brasil a limpo. Termino fazendo três perguntas: por que a Rede Globo está fazendo campanha contra Dilma e Lula? Será que é porque termina sua concessão em 2018? Cadê esses inquéritos que não são divulgados e os julgamentos levam anos e mais anos sem o veredito? Exemplos: o japonês da federal, Azeredo de Minas Gerais, o mensalão, trem da Siemens (PSDB-SP), Maluf, deputado federal, merenda estadual (Alckmin-SP), Agripino Maia (DEM), Aécio (senador, Minas), Imbassahy, ex-prefeito e o metrô Salvador, Geddel, Caixa Econômica Federal, FHC, mudança de moeda, Banco Central, compra de equipamento para segurança da Amazônia, e por aí vai. José Antônio de Mattos, [email protected]

Bicho-papão

A incontestável supremacia do E.C. Vitória no futebol baiano nos últimos 12 anos é traduzida pelos inúmeros títulos conquistados, por goleadas históricas no seu ex-maior rival, pela grandeza do seu patrimônio, além do status de time de 1ª divisão. Diante deste invejável currículo é natural que os seus adversários no campeonato baiano tremam nas bases quando o enfrentam, principalmente em jogos eliminatórios do tipo mata-mata. Este é o motivo pelo qual o atrapalhado e inexperiente presidente do E.C. Baêa tenta neste momento eliminar via justiça desportiva (caso Vítor Ramos) o Vitória da disputa dos jogos decisivos do Baianão/2016, o que é bastante compreensível. Afinal, quanto mais distante de adversários deste nível, menor é o risco do time de este presidente ser novamente trucidado pelo bicho-papão do Leão da Barra. José Carlos Novaes Queiróz, [email protected]

Garras de fora

Sem saber que estava sendo gravado, o ministro Luis Barroso, do STF, emitiu uma opinião política que não cabia, em função do cargo que exerce na mais alta corte. Disse ele: "Meu Deus! Essa é a nossa alternativa de poder?".  Barroso não disse nenhuma inverdade porque, se assumirem o poder, as figuras carimbadas do partido vão mostrar as suas garras. Que falta fazem Ulysses Guimarães, Pedro Simon, entre outros, que davam  honorabilidade ao partido. Renan Calheiros, Michel Temer e, principalmente, o maquiavélico Eduardo Cunha não merecem o nosso respeito. Rezemos para que a Operação Lava Jato seja permanente e que surjam outros juízes como Sérgio Moro. Carlos de Carvalho, carlos.carvalho [email protected]

Delicadeza contra ódio político

Parabéns pelo artigo, Cláudio Leal ("Contra os ódios, Thiago de Mello", A TARDE, 1º/4/16). "Vamos juntos, multidão/ Trabalhar pela alegria/ Amanhã é um novo dia". Geraldino Lima, [email protected] gmail.com

adblock ativo

Publicações relacionadas