Alba: Alden apresenta defesa ao Conselho de Ética; data de depoimento é alterada

Publicado quarta-feira, 16 de junho de 2021 às 16:40 h | Atualizado em 16/06/2021, 16:52 | Autor: Da Redação

Alvo de um processo disciplinar por quebra de decoro parlamentar, o deputado Capitão Alden (PSL) apresentou sua defesa ao Conselho de Ética da Casa nesta terça-feira, 15, informou nesta quarta, 16, o presidente do colegiado, deputado Marquinho Viana (PSB).

O parlamentar tinha até esta quinta, 17, para apresentar a defesa. O conselho também mudou a data do depoimento de Alden para o dia 7 de julho, um dia antes do que fora divulgado. "Na última reunião nós aprovamos a convocação do deputado Capitão Alden para o dia 8 de julho, mas vai cair em uma quinta-feira, e nossas reuniões são nas quartas”, justificou o presidente do colegiado.

Segundo Viana, o conselho buscou atender a todos os pedidos de Alden referentes à cessão de informações e materiais, para não causar obstáculos à sua defesa, mas reiterou que as sessões não serão fechadas, como queria o alvo do processo. “Atendemos praticamente todos pedidos dele. Inclusive, enviamos uma mídia com o conteúdo gravado por ele mesmo. Só não foi possível acatar o pleito de sigilo de Justiça. Capitão Alden queria que as sessões do Conselho de Ética e Decoro em relação ao seu processo disciplinar fossem realizadas às portas fechadas, mas isso não foi acatado por unanimidade”, disse Viana.

A sessão de esclarecimento será transmitida ao vivo pela TV Alba. Cada deputado poderá fazer questionamentos sobre o episódio que motivou o processo. Alden poderá escolher depor de forma presencial ou virtual, já que a sessão foi aprovada em formato semipresencial.

Além do presidente e do vice, Sandro Régis (DEM), são membros titulares do Conselho de Ética os deputados Luciano Simões Filho, Aderbal Caldas (PP), Euclides Fernandes (PDT), Bobô (PC do B), Fabíola Mansur (PSB) e Zé Raimundo (PT). O colegiado tem como suplentes os deputados Eduardo Alencar (PSD), Eduardo Salles (PP), Fátima Nunes (PT), Neusa Cadore (PT), Samuel Jr. (PDT), Tiago Correia (PSDB) e Vitor Bonfim (PL).

O processo contra Alden foi instalado após pedido de deputados da bancada de oposição, por causa de um vídeo publicado pelo parlamentar em suas redes sociais. “Se eu ficasse na minha, sem fazer nada eu tava feito na vida, recebendo R$ 1,6 milhão da prefeitura que os deputados de oposição todos ganham”, diz o deputado no vídeo.

Publicações relacionadas