Geraldo Júnior provoca adversários e diz ter respaldo da Câmara

Após promover mudanças na lei, vereador afirmou ficar "entristecido" com as "desatenções" dos colegas

Publicado terça-feira, 29 de março de 2022 às 17:07 h | Atualizado em 29/03/2022, 20:36 | Autor: Rodrigo Aguiar
Geraldo Júnior foi eleito para terceiro mandato como presidente da Câmara
Geraldo Júnior foi eleito para terceiro mandato como presidente da Câmara -

Reeleito presidente da Câmara de Salvador para um terceiro mandato, a ser iniciado em janeiro do próximo ano, o vereador Geraldo Júnior (MDB) disse que teve o aval da Casa ao promover na legislação as mudanças que permitiram sua recondução ao cargo na mesma legislatura.

"Devemos nos policiar em relação a uma prática e ter atenção maior àquilo que apreciamos e votamos nessa Casa. Chamei a atenção de vossas Excelências porque não merecem prosperar algumas assertivas", discursou Geraldo, ao acrescentar que fica "entristecido" com as "desatenções do plenário". 

O presidente da Câmara também provocou, sem citar nomes, os vereadores contrários à sua nova reeleição. "Quero pedir a Deus na sua infinita sabedoria por esses que se abstiveram, que votaram parcialmente na chapa", disse. Na sessão, o vereador Cláudio Tinoco (União Brasil) se manifestou contra a eleição da chapa por aclamação.

Geraldo ainda ressaltou o fato de que a votação foi presidida pelo vereador Edvaldo Brito (PSD). "O que me dá legitimidade é um ato desse conduzido por um dos melhores juristas do Brasil, que não rasgaria sua história de credibilidade", declarou.

Questionamento

Tinoco, por sua vez, aponta que as "coisas foram orquestradas" na sessão da última quarta-feira, 23, quando, segundo ele, a emenda e duas resoluções sequer constavam na ordem do dia impressa, mas acabaram sendo aprovadas de modo atropelado, em meio a dezenas de proposições. 

"Existe um acordo de líderes de que os projetos de lei só devem ir a plenário depois de passar por todas as comissões. Havia três projetos, e não houve acordo. Ele [Geraldo] insistiu muito para votar esses projetos, ao ponto de convencer os líderes a votarem pelo menos um projeto de Carballal. Quando terminou de votar as moções e requerimentos, ele chamou a emenda e duas resoluções, que não estavam na ordem do dia", relatou.

Tinoco disse ainda que só teve acesso à ata da sessão anterior nesta terça, o que o impediu de questionar o procedimento. "Claro que a ata é apreciada e aprovada na sessão seguinte. Eu fui para a sessão de hoje sem saber da convocação [da votação]", afirmou, ao acrescentar que o presidente da Câmara não seguiu a prática habitual anterior às sessões no grupo de vereadores, restringindo-se a publicar a convocação no Diário Oficial.

Publicações relacionadas