Encontro com embaixadores: Rosa Weber é sorteada relatora

Partidos de oposição acionaram o STF para investigar conduta do presidente ao atacar sistema eleitoral para embaixadores

Publicado quarta-feira, 20 de julho de 2022 às 17:40 h | Atualizado em 20/07/2022, 17:52 | Autor: Da Redação
A magistrada do STF deve enviar o pedido para a Procuradoria-Geral da República (PGR) avaliar se há indícios de irregularidades e propor eventuais medidas de investigação
A magistrada do STF deve enviar o pedido para a Procuradoria-Geral da República (PGR) avaliar se há indícios de irregularidades e propor eventuais medidas de investigação -

Dentre os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), a ministra Rosa Weber foi a escolhida nesta quarta-feira, 20, por sorteio, para ser a relatora do pedido de parlamentares de oposição na Corte para investigar o presidente Jair Bolsonaro (PL) por causa da reunião com embaixadores estrangeiros na última segunda-feira, 18.

No pedido, os parlamentares argumentaram que o presidente cometeu improbidade administrativa, abuso de poder político e econômico, crime contra o Estado Democrático e fez propaganda eleitoral antecipada. Também afirmaram que o presidente usou o cargo para abalar a ordem democrática.

"Não pode o representado usar do cargo de Presidente da República para subverter e atacar a ordem democrática, buscando criar verdadeiro caos no País e desestabilizar as instituições públicas", diz o texto. A magistrada do STF deve enviar o pedido para a Procuradoria-Geral da República (PGR) avaliar se há indícios de irregularidades e propor eventuais medidas de investigação.

Além de acionarem o Supremo, partidos e parlamentares de oposição buscaram o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) contra a conduta de Bolsonaro. Nos pedidos, destacaram que a atuação pode configurar abuso de poder político e uso da máquina pública para desequilibrar a disputa eleitoral.

Publicações relacionadas