adblock ativo

Camargo é impedido pela Justiça de fazer nomeações ou exonerar servidores da Fundação Palmares

Publicado às | Atualizado em 11/10/2021, 18:24 | Autor: Da Redação
Ele também fica sem o direito de fazer a contratação de empresas terceirizadas I Foto: Reprodução I Redes Sociais
Ele também fica sem o direito de fazer a contratação de empresas terceirizadas I Foto: Reprodução I Redes Sociais -
adblock ativo

O presidente da Fundação Palmares, Sérgio Camargo, foi afastado pela Justiça do Trabalho das atividades relacionadas à gestão de funcionários, e está proibido de nomear, exonerar e transferir novos servidores. Ele também fica sem o direito de fazer a contratação de empresas terceirizadas.

O juiz Gustavo Carvalho Chehab, da 21ª Vara do Trabalho de Brasília determinou ainda que Camargo não cometa nenhum tipo de assédio nas redes sociais contra os ex-servidores da Fundação. O magistrado atende a um pedido do Ministério Público do Trabalho (MPT) que recomendou o afastamento de Camargo da instituição por denúncias de assédio moral.

Segundo a decisão, "ficou claro para este juízo que o alegado abuso do 2º réu está centrado na gestão de pessoas e na possível execração pública de indivíduos". O juiz alegou que a impossibilidade de executar os atos administrativos, por si só, já bastam, sem a necessidade do afastamento completo do cargo.

Nomeado por Bolsonaro, Sérgio Camargo costuma se posicionar de forma polêmica quanto à temas raciais e tentou censurar diversas obras do site oficial da fundação, como a biografia de Zumbi dos Palmares, que dá o nome à instituição.

Tanto Camargo quanto a própria Fundação negam a acusação de assédio moral, segundo informações do O Globo.

adblock ativo

Publicações relacionadas