Caminhões permanecem em Brasília e pressionam por invasão do STF

Publicado quarta-feira, 08 de setembro de 2021 às 18:23 h | Atualizado em 08/09/2021, 18:27 | Autor: Da Redação

Mesmo após a dispersão de grande parte dos manifestantes dos atos de sete de setembro, em apoio a bandeiras golpistas do presidente Jair Bolsonaro, mais de cem caminhões permanecem na Esplanada dos Ministérios.

Os veículos  são usados para pressionar pela derrubada do bloqueio que dá acesso ao STF (Supremo Tribunal Federal) e ao Congresso Nacional. 

Os caminhoneiros ocupam as vias desde a noite de terça-feira e seguem firmes na região central da capital. Não há previsão de liberação do trânsito na localidade.

Segundo o jornal Folha de S. Paulo, o movimento tem o dedo de empresas do agronegócio de Goiás, Santa Catarina e São Paulo. A maioria dos caminhões estacionados no canteiro central e nas vias da Esplanada traz a identificação delas.

Entre os manifestantes que ficaram, segue a pauta mais radical do ato: dar um ultimato ao Senado pelo impeachment de ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) e ficar de plantão em Brasília esperando o resultado.

Muitos ativistas mostram-se decepcionados com o discurso de Bolsonaro, porque esperavam falas mais duras do mandatário. “Rodei dois dias pra chegar aqui, acreditei, me dediquei. Não quero ir embora de mãos vazias”, discursou um deles.

Os bolsonaristas restantes se revezam na frente à barreira policial. Alguns reclamam da postura dos PMs de “proteger” o prédio do STF.

O Supremo é o principal alvo de Bolsonaro e de seus apoiadores que compareceram às manifestações em Brasília, no Rio de Janeiro e em São Paulo.

Publicações relacionadas