“Cercadinho ideológico do PT”, afirma Aleluia após Wagner e Otto se defenderem da acusação de serem contra revitalização do Rio São Francisco

Publicado quinta-feira, 17 de junho de 2021 às 16:31 h | Atualizado em 17/06/2021, 17:25 | Autor: Da Redação

O vereador Alexandre Aleluia (DEM) alfinetou os senadores Otto Alencar (PSD) e Jaques Wagner (PT) durante o programa PNotícias, da rádio Piatã FM, na manhã desta quinta-feira, 17, ao comentar o posicionamento dos dois sobre a Medida Provisória (MP) para revitalização do Rio São Francisco. “É muito comum esse pessoal do PT, da esquerda, falar em ecologia de maneira abstrata e não mostrar de onde tirar o concurso, como fazer”, afirmou o político. Aleluia ainda se referiu aos parlamentares como parte do que considera o “cercadinho ideológico do PT”.

De acordo com o parlamentar, a privatização do Sistema Eletrobras compromete a soberania energética brasileira e resulta no aumento da conta de luz para os consumidores. Além disso, afirmaram que é fake news os boatos de que parlamentares teriam votado contra a revitalização do Rio São Francisco.

Quem também negou as especulações foi o senador Jaques Wagner, que garantiu que o governo federal, na verdade, quer privatizar a Eletrobras e que algumas pessoas mal intencionados estariam tentando enganar o povo do Nordeste tratando o assunto como condição para revitalizar o Rio São Francisco.

De acordo Alexandre Aleluia, a bancada do PT e o que ele chamou de “cercadinho ideológico” do partido tem falado em ecologia, mas não tem mostrado ações concretas em prol do meio ambiente. 

“Existe fake news a partir do momento que falam em ecologia, em meio ambiente, em revitalizar o Rio São Francisco e não falar de onde vem o dinheiro. É muito comum esse pessoal do PT, da esquerda, falar em ecologia e maneira abstrata e não mostrar de onde tirar o concurso, como fazer. Só vejo o pessoal com bandeira verde, fazendo manifestação, abraçando árvore. Agora na hora de ajudar, de querer realmente resolver o problema concreto, com uma solução concreta, a gente não vê. Eu vi que o senador Jaques Wagner inventou uma emenda mudando o valor para não sei quantos milhões, mas é contra a privatização, ou seja, o dinheiro vai sair de onde?”, elencou. 

“É como uma melancia. Por fora, tá verde, mas por dentro é basicamente vermelha e querendo conservar benefícios, sindicalistas, do sangramento, dos prejuízos das estatais e da estatal da Eletrobras, e não melhorar a vida de milhares de pessoas. Conservar para o privilégio de poucos, em detrimento de muitos. É basicamente isso. Eu entendo perfeitamente que o PT e o seu cercadinho ideológico, que não tem o broche do PT, mas quer entrar na chapa e fica no cercadinho ideológico, eu entendo que esse pessoal queira manter o monstrengo das estatais porque dava muito prejuízo e era muito bom pra político e ruim pro povo. As estatais somando no último ano do PT chegou a dar R$ 120 milhões de prejuízo, agora no governo Bolsonaro já está dando R$ 30 milhões a R$ 40 milhões de lucro”, acrescentou.

“Olhe a diferença, olha quanto dinheiro se perdia. É muito dinheiro, não dá pra ficar indo pro ralo. Então essa é a diferença. O pessoal quer ficar dizendo que protege o meio ambiente, mas não quer encontrar uma solução concreta e nem a fonte de recursos concretos. Mas aí eu quero ver, porque que esse pessoal vota de acordo com o sindicato e contra o povo, isso aí vota há muito tempo. Agora, que vai votar contra a população ribeirinha do Rio São Francisco, aí é coisa nova. Isso não é fake news, isso é verdade. Eles estão voltando contra a revitalização do rio que é fonte de economia de milhares de pessoas. É fonte vital da Bahia, isso aí vai ser coisa nova. Eu não lembro o ano, as leis, a votação, que tivemos senadores baianos, que votaram contra uma revitalização dessa, do montante dessa e impactante como essa”, concluiu o vereador.

Publicações relacionadas