adblock ativo

Convocação de profissionais pode demandar suplementação

Publicado sábado, 30 de janeiro de 2016 às 20:39 h | Atualizado em 30/01/2016, 17:39 | Autor: Luan Santos
adblock ativo

Ao longo deste ano, o MPBA deve convocar 48 promotores de Justiça, além de servidores administrativos, aprovados em concurso público. Com isso, haverá um aumento nos custos, o que poderá demandar suplementação por parte do Executivo para o orçamento da instituição.

Millen Castro e Alexandre Cruz dizem que o orçamento deste ano é similar ao que foi executado em 2015 e, com o incremento no quadro de profissionais e a inflação, a suplementação deverá ser necessária. Márcio Fahel, por sua vez, afirma que diante das demandas contínuas, o orçamento poderá, sim, necessitar de ajustes.

Sobre o orçamento, Ediene Lousado afirma que foi feito com base no planejamento estratégico do  MPBA e diz que suas propostas para os próximos anos seguem esse planejamento. Pedro Maia, por sua vez, diz que o orçamento é suficiente para suprir as necessidades da  instituição.

Poder

O cientista político Joviniano Neto afirma que o cargo de procurador-geral tem a cada dia  mais prestígio político, em função de o MPBA ter poder para fiscalizar e avaliar políticas  públicas. Por isso, ele defende maior acompanhamento da população durante as eleições  para a chefia da instituição.

"O Brasil se acostumou a acompanhar eleições de governador, prefeito,  presidente, mas não presta muita atenção na eleição das pessoas que podem ajudar a  viabilizar uma boa política, ou dificultar", diz.

Com a independência do Ministério Público conquistada na Constituição de 1988, a atuação  da instituição tem ganhado destaque, o que, para Joviniano Neto, atrai o interesse pelo cargo  de chefe, por conta da influência da instituição em temas relevantes. Ele exemplifica com a participação no debate sobre o Plano Diretor, em Salvador.

adblock ativo

Publicações relacionadas