Desafeto de Bolsonaro, Barroso comemora aprovação de André Mendonça ao STF

Publicado quinta-feira, 02 de dezembro de 2021 às 11:06 h | Atualizado em 02/12/2021, 11:10 | Autor: Da Redação

O ministro Luís Roberto Barroso comemorou a aprovação do Senado da indicação de André Mendonça, novo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF). Indicado pelo presidente Jair Bolsonaro (PL), o ex-chefe da AGU foi sabatinado pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) nesta quarta-feira, 1º, e teve chegada ao STF confirmada no plenário da Casa após quase cinco meses de espera.

>> Em sabatina na CCJ, André Mendonça defende estado laico e promete respeito a minorias

"A democracia tem lugar para liberais, conservadores e progressistas. O mesmo vale para o STF", disse o ministro a coluna Painel, da Folha de São Paulo.

"O importante é que além do conhecimento jurídico, o candidato seja uma pessoa do bem. Acho que é o caso do ministro André Mendonça", acrescenta Barroso.

Mendonça foi o ministro do STF com menor aprovação no Senado, mas ainda assim, conseguiu votos suficientes para chegar a corte. Ele recebeu 47 votos favoráveis e 32 contra. Houve um ausência entres os senadores e o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, não teve direito a voto. Os votos são secretos.

Eram necessários pelo menos 41 votos para a confirmação da indicação de Mendonça no plenário. A quantidade de votos a favor no Senado foi a mais baixa obtida dentre todos os atuais integrantes do STF.

Indicado por Bolsonaro como maneira de agradar os evangélicos que o apoiam, André Mendonça disse em sabatina que a sua religião não irá atrapalhar no cumprimento da constituição dentro do STF. Ele também pregou defender as minorias, liberdades de imprensa e expressão, entre outras pautas consideradas progressistas e que divergem de sua postura enquanto ministro da Justiça do atual governo.

Publicações relacionadas