Bahia e três estados concentram quase metade dos eleitores brasileiros

No quarto lugar, a Bahia concentra 7,2% do eleitorado no Brasil apto a votar nas eleições de outubro deste ano

Publicado sábado, 16 de julho de 2022 às 14:55 h | Atualizado em 16/07/2022, 15:59 | Autor: Da Redação
Comparado com 2018, houve um crescimento de 8,64% no eleitorado baiano
Comparado com 2018, houve um crescimento de 8,64% no eleitorado baiano -

A Bahia, quarto maior colégio eleitoral brasileiro, concentra, junto com os três estados com mais eleitores, São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro, respectivamente, mais de 75 milhões ou 47,98% dos eleitores. Isso é o que aponta relatório do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) divulgado nesta sexta-feira, 15.

No quarto lugar, a Bahia concentra 7,2% do eleitorado no Brasil apto a votar nas eleições de outubro deste ano. Em números absolutos, esse percentual equivale a 11.291.528 cidadãos que estão com o título de leitor regularizado com a Justiça Eleitoral. Comparado com 2018, houve um crescimento de 8,64%. São 898.358 eleitores a mais que na última eleição majoritária.

Segundo o relatório do TSE, Salvador segue como o maior colégio eleitoral baiano, com 1.983.198 de eleitores, seguido por Feira de Santana (424.521) e Vitória da Conquista (250.908). Além disso, a Bahia tem 52% eleitores que se declararam do sexo feminino, 42% do sexo masculino e 1% não informou o sexo.

A maioria dos eleitores baianos tem 26,51% com o Ensino Médio completo, seguido por Ensino Fundamental incompleto (22,78%) e Ensino Médio incompleto (15,14%). Apenas 7,77% do eleitorado baiano tem Ensino Superior completo.

Brasil

No relatório divulgado nesta sexta, as eleições de 2022 têm 156,4 milhões de pessoas aptas a votar. De acordo com o presidente do TSE, ministro Edson Fachin, esse é o maior eleitorado cadastrado da história brasileira.

Houve um aumento de 6,21% do eleitorado desde as últimas eleições gerais do país, em 2018. Naquele pleito, o número de eleitoras e eleitores habilitados a votar era de 147.306.275.

“Este é mais um serviço que a Justiça Eleitoral presta, como tem feito em 90 anos de existência, e em mais de 25 anos do sistema eletrônico de votação em prol da democracia, em prol de um sistema seguro, transparente e auditável”, apontou Fachin.

O número de jovens entre 16 a 17 anos aumentou consideravelmente. Nas eleições deste ano, 2.116.781 podem votar, em 2018, essa faixa etária era de 1.400.617. O crescimento foi de 51,13%.

Publicações relacionadas