Em live, Rui ironiza intenção eleitoral da PEC dos Auxílios

Governador comparou que proposta que traz pacote de bondades a três meses da eleição com compra de voto

Publicado terça-feira, 12 de julho de 2022 às 20:08 h | Atualizado em 12/07/2022, 20:08 | Autor: João Guerra
Governador disse que é preciso pensar um programa de transferência de renda permanente
Governador disse que é preciso pensar um programa de transferência de renda permanente -

O governador Rui Costa (PT), tratou com ironia durante a sua live semanal nas redes sociais a chamada “PEC dos Auxílios”, que tramita no Congresso e tem dentre seus objetivos aumentar o valor do Auxílio Brasil de R$ 400 para R$ 600, criar um voucher de R$ 1.000 para caminhoneiros para ajudar na compra do diesel e ampliar o Vale-Gás.

Costa comparou o pacote de bondades que a base governista tem se esforçado para aprovar no Senado e na Câmara com a forma como se comprava votos no passado.

“Esse pessoal subestima a inteligência das pessoas. No passado isso era chamado de tentativa de compra de voto. O cara mata o outro de fome a vida inteira e chega na boca da eleição e entrega uma cesta básica para tentar comprar o voto. No passado era assim. Agora aparece um picolé que o cara vai lhe dar para chupar com prazo de validade até dezembro. Você vai usar aqui e em dezembro acaba”, comentou.

Rui defendeu que seja criado um auxílio permanente para a população que necessita e não como ferramenta eleitoral.

“É uma coisa desmoralizante para o país. Hoje vi o presidente Lula dizendo que, se for eleito, vai manter isso como um programa social e não como uma ferramenta eleitoral. Acho que tem que ser assim, um programa permanente e não a três meses da eleição ficar inventando programa. Tem que ser permanente para a população que precisa e não só até dezembro”, defendeu. 

Publicações relacionadas