Petistas vibram e Jerônimo provoca Neto: "Máscara vai cair"

Apesar da segunda colocação de Jerônimo, metade dos baianos diz torcer por vitória de candidato apoiado por Lula, aponta pesquisa Genial/Quaest

Publicado sexta-feira, 15 de julho de 2022 às 10:40 h | Atualizado em 15/07/2022, 20:42 | Autor: Lucas Franco
Contabilizando as intenções de voto com o apoio de Lula, Jerônimo Rodrigues (PT), que em maio detinha 34%, atinge agora 38% das intenções de voto na nova rodada da pesquisa Genial/Quaest, realizada com eleitores da Bahia
Contabilizando as intenções de voto com o apoio de Lula, Jerônimo Rodrigues (PT), que em maio detinha 34%, atinge agora 38% das intenções de voto na nova rodada da pesquisa Genial/Quaest, realizada com eleitores da Bahia -

A divulgação da nova rodada da pesquisa Genial/Quaest, realizada com eleitores da Bahia, deixou petistas otimistas com a eleição para governador, incluindo o cabeça de chapa, Jerônimo Rodrigues (PT).

"Nós temos um legado de trabalho que é reconhecido pelos baianos", disse o ex-secretário de Educação no Governo Rui Costa (PT).

O vínculo com Lula, porém, é o fator que os petistas esperam que faça a diferença nas eleições e que tem causado impacto nas pesquisas até então, apesar da boa aprovação do governador.

Metade (50%) dos baianos diz torcer por vitória de um candidato apoiado por Lula (PT), 16% alegam preferir alguém ligado a Bolsonaro (PL) e 30% mostraram intenção em apoiar alguém que não fosse próximo nem do atual nem do ex-presidente, segundo a pesquisa. Jerônimo acredita que seu concorrente, ACM Neto (UB), que tem conversas com Ciro Gomes (PDT), não conseguirá manter o discurso de que não apoia Lula ou Bolsonaro.

"Ele não assume de que lado está por oportunismo eleitoral e porque tem vergonha de ter apoiado e dado sustentação ao atual presidente. A verdade é que o [ex] prefeito [de Salvador] está isolado dentro de seu projeto individual. O meu time é o de Lula, Rui e Wagner e isso está cada vez mais claro para as pessoas. O ex-prefeito é do time da desconfiança e a máscara dele está caindo", opinou o pré-candidato a governador da Bahia pelo PT. 

O colega de chapa de Jerônimo, o pré-candidato a vice e presidente da Câmara Municipal de Salvador, Geraldo Junior (MDB) também comemorou o resultado do levantamento e falou da importância do apoio de Lula para se chegar no Palácio de Ondina no pleito deste ano.

"Ele [Lula] foi o melhor presidente da história do Brasil. Simplesmente porque teve como foco a questão social e tirou milhões de pessoas da pobreza. E é o líder incontestável nas intenções de voto na pré-campanha para presidente da República E também porque é um fenômeno de votos na Bahia", argumentou.

Geraldo Junior aproveitou para destacar a indefinição da eleição e aponta que o pré-candidato do União Brasil ao governo, o ex-prefeito ACM Neto, está "perdendo o fôlego". "O outro pré-candidato não tem um cabo eleitoral como pré-candidato a presidente e vai perdendo fôlego, desidratando a cada dia que vai se aproximando das eleições.  E as questões estaduais estão linkadas com os desafios nacionais. E há a questão da afinidade entre os próximos governos federal e estadual".

Aliados

Os vínculos entre pré-candidaturas de governador e pré-candidaturas de presidente da República, na opinião do deputado federal Zé Neto (PT), não precisariam de um apoio formal.

“Tudo que Bolsonaro votou em Brasília teve o apoio da turma que está com ele [ACM Neto]. Os órgãos federais que eles pegam na Bahia são comandados pela turma que está com ele. O Governo Federal é comandada pela turma que está com ele. Entendeu? Então o lado dele é esse”, disse o parlamentar.

O deputado estadual Robinson Almeida (PT) diz também enxergar que ACM Neto tem vínculo com Bolsonaro e acredita que em algum momento a relação entre os dois ficará mais evidente.

“A aposta de Neto de esconder seu candidato a presidente não está funcionando. Esconde o rosto de Bolsonaro, mas o seu candidato a senador, Cacá Leão, é Bolsonaro, a maioria dos partidos da sua aliança já declarou apoio ao presidente. Vai ser difícil não cair a máscara de Neto”, alegou Robinson.

O deputado estadual aposta em uma virada e citou as eleições de 2006 e 2014 em que Jaques Wagner e Rui Costa venceram pela primeira vez, respectivamente, como exemplos de que a visibilidade dos pré-candidatos, no período de campanha, muda o cenário.

“O povo vai sabendo quem é o candidato do time de Lula e escolhe votar casado. Quando setembro chegar, a campanha vai para as casas das pessoas pelo horário eleitoral de TV e Rádio. Vai ter efeito avalanche para votar no candidato de Lula, e Jerônimo vai ganhar as eleições”, justificou.

Para o presidente do PT na Bahia, Eden Valadares, a divulgação da nova rodada da pesquisa Genial/Quaest não deve tirar o pé no chão dos seus correligionários. “A história política baiana nos ensinou a não celebrar nem a lamentar pesquisa. A turma de lá costuma comemorar pesquisa. Nosso time prefere vencer nas urnas. Mas é claro que a gente sente que o apoio do povo baiano ao presidente Lula é muito forte, muito grande”, disse o dirigente estadual.

O ex-prefeito de Salvador, ACM Neto (UB), lidera a pesquisa com 43% das intenções de voto, mas variou negativamente quatro pontos percentuais em relação ao levantamento feito pelo mesmo instituto de pesquisa em maio. Contabilizando as intenções de voto com o apoio de Lula, Jerônimo Rodrigues (PT), que em maio detinha 34%, atinge agora 38%, o que para Eden Valadares pode ser explicado pela maior visibilidade que o pré-candidato a governador petista tem ganhado. 

A tentativa de vincular a imagem do ex-secretário de Educação ao pré-candidato Lula, porém, tem apresentado alguns desafios, segundo Eden. “Eu estou é sofrendo com um certo ciúme dos outros estados. Lula veio à Bahia duas vezes em menos de noventa dias. Não fez isso em nenhum outro lugar. O que reforça seu carinho pelo povo baiano, claro, e também seu compromisso com a campanha e a vitória de Jerônimo e Otto”, argumentou.

Publicações relacionadas