Empresa da ex-mulher de Wassef recebeu R$ 41 milhões no governo atual

Publicado domingo, 21 de junho de 2020 às 11:03 h | Atualizado em 21/06/2020, 11:07 | Autor: Da Redação

Uma empresa ligada a ex-mulher do advogado da família Bolsonaro, Frederick Wassef, recebeu cerca de R$ 41,6 milhões durante o atual governo. Os pagamentos foram efetuadas dentro de um período entre janeiro de 2019 e junho deste ano pela gestão federal para a Globalweb Outsourcing, empresa fundada por Cristina Boner Leo.

De acordo com o Uol, os valores pagos à respectiva empresa em menos de um ano e meio da gestão Bolsonaro, são semelhantes aos pagos à empresa nos quatro anos de gestão compartilhada por Dilma Rousseff (PT) e Michel Temer (MDB), entre 2014 e 2018, com R$ 42 milhões.

A Globalweb Outsourcing presta serviço de informação e tecnologia da informação para vários órgãos da atual administração do país. Entre eles, estão o Ministério da Saúde e o Banco Nacional de Desenvolvimento Social (BNDES).

Em levantamento feito no portal da Transparência e Diário Oficial, os contratos que a empresa tinha negociado com governos anteriores foram prorrogados e receberam aditivos de R$ 165 milhões pela gestão de Bolsonaro. Além disso, ainda houve o fechamento de um novo contrato no valor de R$ 53 milhões, totalizando R$ 218 milhões a serem pagos pelos cofres públicos nos próximos anos.

Segundo o próprio Wassef, os negócios da empresa não têm relação alguma com ele. A empresa aberta em 2010 é, atualmente, administrada por Bruna Boner Leo Silva, filha de Cristina, ex-mulher de Wassef. Cristina também foi apresentada como CEO e presidente do Conselho de Administração da Globalweb em 2017.

Questionado se o aumento nos pagamentos e contratos da Globalweb com o governo guardava relação com eventual interferência do advogado, Wassef foi enfático em responder que "isso era fake news e crime de calúnia".

Publicações relacionadas