Especulados no PL, bolsonaristas baianos participam de filiação do presidente ao partido

Publicado terça-feira, 30 de novembro de 2021 às 16:12 h | Atualizado em 30/11/2021, 16:23 | Autor: Rodrigo Aguiar

Especulados no PL, bolsonaristas baianos participaram nesta terça-feira, 30, da filiação do presidente Jair Bolsonaro à sigla, em Brasília. Entre os presentes, estiveram o vereador Alexandre Aleluia e seu pai José Carlos Aleluia - ambos do DEM - e a deputada estadual Talita Oliveira (PSL). Ex-deputado federal, Aleluia é integrante do Conselho da República e também conselheiro de Itaipú Binacional.

"Juntos com o presidente Jair Bolsonaro na missão de reconstruir o Brasil. Uma satisfação acompanhá-lo no evento de filiação ao PL", escreveu a deputada no Instagram.

Os Aleluia chegaram a posar ao lado do presidente do PL, o ex-deputado Valdemar Costa Neto, condenado a sete anos e dez meses de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro no mensalão do governo Lula. Em maio de 2016, o ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal, concedeu perdão da pena.

Presidente estadual do PL, o ex-deputado federal José Carlos Araújo confirmou as conversas em andamento com o vereador do DEM. "Um dos nomes que já me procurou e conversou comigo sobre entrar foi Alexandre Aleluia. Tem alguns nomes falados, mas não tem nada certo ainda. A partir de agora é que vai acontecer", afirmou o dirigente. 

Araújo reiterou que o PL baiano está alinhado no apoio a Bolsonaro em 2022, ainda que não tenha definido qual candidatura ao governo do Estado apoiará. Há um diálogo forte com ACM Neto, futuro candidato ao Palácio de Ondina pelo União Brasil. "Podemos e devemos apoiar Bolsonaro, sim", disse o ex-deputado.

Outro integrante do PL, o deputado federal José Rocha informou que continua no partido, pondo fim às especulações de que poderia mudar de legenda.


Em seu discurso, Bolsonaro agradeceu a confiança de Valdemar por recebê-lo no PL. "Pode ter certeza que nenhum partido será esquecido por nós. Não temos a virtude de sermos o único certo, muito pelo contrário. Queremos, sim, compor nos estados para senador, governador", afirmou o presidente.

O ministro da Cidadania, João Roma, também participou do evento, junto com o deputado federal Marcos Pereira, presidente nacional do Republicanos, sigla à qual Roma é filiado. Roma tem negado que cogite migrar para o PL. Segundo o ministro, há um "tripé" que trabalha pela reeleição de Bolsonaro, formado por PL, Republicanos e PP.

Durante o evento, Roma foi citado por Bolsonaro como possível candidato ao governo da Bahia, junto com outros prováveis postulantes, como o deputado Major Vitor Hugo (Goiás) e o ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho (Rio Grande do Norte).

Além do presidente, também se filiaram ao PL o seu filho, senador Flávio Bolsonaro, e Marinho.

Publicações relacionadas