Exército pune sargento que reclamou de salário em live com deputado bolsonarista

Publicado sexta-feira, 03 de setembro de 2021 às 20:52 h | Atualizado em 03/09/2021, 20:54 | Autor: Da Redação

O sargento Luan Ferreira de Freitas Rocha, da 15ª Brigada de Infantaria Mecanizada, em Cascavel (PR), foi punido pelo Exército depois de reclamar de salários em uma transmissão feita pelo deputado federal Major Vítor Hugo (PSL-GO), ex-líder do governo Bolsonaro na Câmara.

O Exército, porém, não informou qual foi a pena aplicada - que poderia variar de uma advertência verbal a 30 dias de cadeia.

Este é o primeiro caso deste tipo desde que o Exército decidiu não punir o general Eduardo Pazuello, ex-ministro da Saúde, por participar de um ato político de apoio a Bolsonaro no dia 23 de maio.

Havia um impasse na Força: caso não punisse o sargento pela transgressão ao Regimento Disciplinar do Exército, abriria de vez o precedente inaugurado com o episódio envolvendo Pazuello.

Ao mesmo tempo, o Exército corre o risco de ver uma grande insatisfação entre os praças, principalmente pelo caráter da reclamação feita pelo sargento, um militar de patente inferior.

No último dia 15 de maio, em uma live no Instagram de Vítor Hugo, o sargento questionou, de forma ponderada, o aumento do tempo de permanência de terceiros-sargentos, como ele, no cargo, previsto na reforma da previdência militar aprovada em 2019. "Dez anos [na mesma função] é pesado", opinou. O parlamentar concordou com a queixa.

Rocha sugeriu, então, a criação de mais uma patente intermediária, para diminuir os tempos de serviço em cada nível hierárquico.

Publicações relacionadas