Fora do DEM, Rodrigo Maia diz que "maior chance" é que acompanhe Paes e se filie ao PSD

Publicado quarta-feira, 16 de junho de 2021 às 15:48 h | Atualizado em 16/06/2021, 15:53 | Autor: Da Redação

Expulso do DEM após decisão unânime do partido, em um rompimento com direito a troca de ofensas públicas, o deputado federal Rodrigo Maia confirmou que pretende seguir os passos do prefeito do Rio de Janeiro e amigo, Eduardo Paes, e se filiar ao PSD.

“Ainda não está definido, [o PSD] é a principal tendência, claro, mas eu agora que estou sem partido vou conversar com deputados, políticos e políticas que me ajudaram na minha trajetória, para, dialogando com eles, construir a melhor solução, claro, onde a tendência maior é sempre estar junto com o prefeito Eduardo Paes”, disse o ex-presidente da Câmara.

O partido do ex-ministro Gilberto Kassab tem aglutinado quadros de diferentes espectros políticos e tem se movimento nos bastidores por 2022. Apesar do presidente da sigla defender uma candidatura própria e tentar cooptar o também demista Rodrigo Pacheco (MG), presidente do Senado, para lançá-lo ao Planalto, é provável que a o PSD possa apoiar a candidatura de Lula.

Na última sexta-feira , 11, Maia se reuniu com o ex-presidente no gabinete de Paes e prometeu ajudar na articulação política e na tentativa de diminuir a rejeição ao PT em determinados setores da sociedade. Maia foi um dos principais entusiastas do impeachment da ex-presidente Dilma Roussef em 2016.

Maia brigou com ACM Neto, a quem chamou de "Torquemada Neto", em alusão a um inquisidor espanhol. O ex-prefeito de Salvador não só foi o seu sucessor na presidência da legenda, como era um aliado de longa data.

Eles se desentenderam durante a última eleição na Casa, quando Maia queria emplacar o nome de Baleia Rossi (MDB-SP), mas Neto pouco se mexeu para ajudá-lo e deixou o caminho desimpedido para que o Planalto entrasse com força na disputa e levasse os seus correligionários. 

A inanição de Neto é apontada por Maia como determinante na derrota na Câmara para o deputado federal Arthur Lira (PP-AL), apoiado pelo governo Bolsonaro.

Desde então, Rodrigo Maia não esconde a sua insatisfação e a sensação de ter sido traído por ACM Neto.

Publicações relacionadas