adblock ativo

Lira busca traidores após derrota em PEC do Ministério Público

Publicado às | Atualizado em 21/10/2021, 15:14 | Autor: Da Redação
Lira se envolveu pessoalmente na negociação da PEC | Foto:Maryanna Oliveira I Agência Câmara
Lira se envolveu pessoalmente na negociação da PEC | Foto:Maryanna Oliveira I Agência Câmara -
adblock ativo

Após a derrota sofrida na votação da PEC que modifica a composição do Conselho Nacional do MP, aliados dizem que Arthur Lira (PP-AL) saiu em busca de traidores. O texto recebeu 297 votos favoráveis, 182 contra e 4 abstenções, faltando 11 votos para aprovação. Uma PEC precisa de 308 votos para ser aprovada, e não maioria simples.

Um dos maiores defensores da matéria, Lira sofreu um grande revés, avaliam pessoas próximas ao presidente da Câmara. Lira se envolveu pessoalmente na negociação e se reuniu com os representantes das associações de integrantes do MP.

O texto derrotado foi gestado em reunião na casa de Lira na segunda, 18, após ele se desentender com presidentes de duas associações na primeira tentativa de votação na quinta, 14.

“Nós temos que obedecer ao resultado em relação a isso. Eu não penso em vitória nem derrota. Eu acho que todo poder deve ter seu código de ética. Todo poder merece ter imparcialidade nos julgamentos. Todos os excessos têm que ser diminuídos, nós temos um texto principal, temos possibilidades regimentais e vamos analisar o que mudou em três votações para fazer uma análise política. O jogo só termina quando acaba”, disse Lira a jornalistas assim que o texto foi rejeitado na Câmara. 

De acordo com o texto, o CNMP passará a ter 17 integrantes — hoje são 14. O relatório atual defende ainda que sejam indicados pela Câmara dos Deputados e Senado cinco membros do CNMP. Anteriormente, o número previa quatro indicações do Congresso.

adblock ativo

Publicações relacionadas