adblock ativo

Mensagens apontam que ex-mulher de Bolsonaro atuou por indicação a cargo ligado à Saúde

Publicado domingo, 15 de agosto de 2021 às 10:55 h | Atualizado em 15/08/2021, 10:58 | Autor: Redação
Ana Cristina Siqueira Valle articulou indicações em posto no Pará com advogado e diretor da pasta
Ana Cristina Siqueira Valle articulou indicações em posto no Pará com advogado e diretor da pasta -
adblock ativo

Um celular apreendido pelo Ministério Público Federal (MPF) e compartilhada com a Comissão Parlamentar de Inquérito da Covid, apontou que a ex-mulher do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), Ana Cristina Siqueira Valle, trabalhou para emplacar uma indicação a um cargo ligado ao Ministério da Saúde.

De acordo informação revelada pelo jornal O Globo, as mensagens foram encontradas no celular do advogado Marconny Albernaz de Faria. O aparelho foi apreendido durante a Operação Hospedeiro, deflagrada em outubro de 2020 para investigar suspeita de desvio de recursos do Instituto Evandro Chagas (IEC), ligado ao Ministério da Saúde no Pará.

Em diálogo com Marconny Albernaz no dia 20 de julho de 2020, Ana Cristina escreveu: “Boa tarde, meu amigo, estive com o Jorge passei o caso prometeu que cair (sic) ver com carinho e coloquei na conta do Renan tbm agora vou esperar um pouco e cobrar ok bj (sic)”.

Posteriormente, Ana Cristina diz que "uma das nomeações" ficaria "na conta de Renan", em referência a Renan Bolsonaro, o 04, filho mais novo do presidente.

De acordo com as mensagens, o citado é Jorge Oliveira, ex-chefe da Secretaria-Geral da Presidência, ex-diretor do Instituto Evandro Chagas e atual ministro do Tribunal de Contas da União (TCU). A força-tarefa também encontrou no celular de Marconny mensagens trocadas por ele diretamente com Jair Renan Bolsonaro.

adblock ativo

Publicações relacionadas