adblock ativo

Políticos vão engrossar marcha 'anti-Dilma'

Publicado terça-feira, 12 de maio de 2015 às 17:27 h | Atualizado em 19/11/2021, 06:50 | Autor: Pedro Venceslau | Estadão Conteúdo
adblock ativo

Enquanto 20 ativistas do Movimento Brasil Livre caminham entre São Paulo e Brasília em uma marcha pelo impeachment da presidente Dilma Roussef, dois representantes do grupo desembarcaram nesta terça-feira, 12, na capital federal para articular o início do processo no Congresso Nacional com dirigentes dos partidos de oposição.

Segundo o deputado Carlos Sampaio (SP), líder do PSDB na Câmara, a ideia é protocolar o pedido no dia 27, data prevista para a chegada da "marcha". "Dá perfeitamente para pedir o impeachment nesta data", diz o tucano. Ele prometeu aos ativistas que participará do trecho final da caminhada.

Na quinta-feira, 14, o líder do PSDB receberá do jurista Miguel Reale Junior o parecer encomendado pela sigla para embasar o pedido. Segundo o deputado, o ex-ministro da Justiça de Fernando Henrique Cardoso sinalizou que já é "plausível" pedir o impeachment. O encaminhamento do processo de impedimento será tema de uma reunião da bancada marcada para semana que vem.

Deputados do DEM e Solidariedade se reuniram hoje com o MBL e se comprometeram a engrossar a caminhada quando ela entrar em Brasília . Segundo dirigentes do grupo, os parlamentares também teriam se comprometido com a proposta de iniciar oficialmente o processo no fim do mês. A marcha anti-Dilma está neste momento indo de Uberaba para Uberlândia, em Minas Gerais.

A proposta de pedir o impedimento da presidente perdeu força no PSDB depois de ser publicamente censurada por FHC e juristas ligados à sigla.

adblock ativo

Publicações relacionadas