Queiroga nega sofrer pressão e diz trabalhar "em sintonia" com Bolsonaro

Publicado sexta-feira, 11 de junho de 2021 às 14:42 h | Atualizado em 11/06/2021, 14:45 | Autor: Da Redação

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, disse nesta sexta-feira, 11, trabalhar "em sintonia" com o presidente Jair Bolsonaro e negou sofrer pressão, ao comentar a posição do chefe do Palácio do Planalto contrária à obrigatoriedade do uso de máscaras por vacinados ou recuperados da Covid-19.

"O presidente não me pressiona. Eu sou ministro dele e nós trabalhamos em absoluta sintonia. É assim que funcionam as democracias, o regime presidencialista. O presidente sempre nos aconselha de maneira muito própria e eu levo a ele os subsídios para que tenhamos as melhores decisões em relação à saúde pública", declarou Queiroga.

O ministro disse ainda aguardar a entrega "o mais rápido possível" de um estudo solicitado pelo presidente sobre o uso de máscaras. Queiroga apontou, no entanto, que é preciso avançar na vacinação da população brasileira.

Nesta quinta-feira, 10, o titular da Saúde afirmou, em vídeo divulgado pela assessoria da pasta, que recebeu um pedido de Bolsonaro pelo estudo. Mais cedo, o presidente havia declarado que solicitou do ministério um parecer para desobrigar o uso de máscaras por quem estivesse vacinado ou já tivesse contraído a Covid-19.

"Acabei de conversar com um tal de Queiroga — não sei se vocês sabem quem é —, nosso ministro da Saúde. Ele vai ultimar um parecer visando a desobrigar o uso de máscara por parte daqueles que estejam vacinados ou que já foram contaminados. Para tirar esse símbolo, que obviamente tem a sua utilidade para quem está infectado", afirmou Bolsonaro, na quinta.

Publicações relacionadas