adblock ativo

Rui Costa adia anúncio do segundo escalão

Publicado sexta-feira, 09 de janeiro de 2015 às 10:36 h | Atualizado em 09/01/2015, 10:36 | Autor: Rafael Rodrigues
Rui Costa - Governador da Bahia
Rui Costa - Governador da Bahia -
adblock ativo

A montagem da equipe do 2º escalão do governo Rui Costa (PT) deverá ser concluída na semana que vem. Em entrevista na terça-feira, o petista havia estipulado esta sexta-feira, 9, como prazo final para a definição dos membros das autarquias, empresas e superintendências estaduais. No entanto, a crise na aliança com o PDT e  ajustes quanto ao espaço que caberá a cada partido prolongou as negociações.

"Tem muitos interesses políticos legítimos, e todas as vezes que você mexe acaba criando uma dificuldade a mais com outro. A construção dos finalmentes não será possível agora", disse o secretário estadual de Relações Institucionais, Josias Gomes.

Ele confirmou a permanência de Eduardo Pessoa na Agência Estadual de Regulação de Serviços Públicos de Energia, Transportes e Comunicações (Agerba) e Elias Machado (PCdoB) na Superintendência de Desportos  (Sudesb), além da nomeação do novo Superintendente de Atendimento ao Consumidor (SAC), Carlos Henrique Martins, irmão do deputado estadual Ângelo Coronel (PSD).

Segundo Josias, o atual presidente da Companhia Baiana de Pesquisa Mineral (CBPM), Alexandre Brust (PDT), só não continuará no cargo  se seu partido romper com a administração estadual. A aliança entre Rui e o PDT entrou em crise após o governador cobrar que a legenda abandone  o cargo que tem na prefeitura de Salvador, sob pena de perder as duas secretarias que tem no Estado.  Uma reunião na semana que vem entre Rui e o presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, definirá o futuro do partido na Bahia. 

Caso a decisão seja pela manutenção da aliança, o caminho está livre para o PDT indicar  a presidência da Embasa - com  orçamento de R$ 2,5 bilhões, era cobiçada pelo PP e PT, que comandou a estatal durante o governo Wagner. Ontem, o presidente estadual do PT, Everaldo Anunciação, disse que a legenda abre mão do cargo em nome de um acordo.  

O presidente da Assembleia Legislativa, Marcelo Nilo (PDT), confirmou ter indicado  dois nomes para a Embasa, mas não quis revelar quem seriam seus preferidos. Nos bastidores, a informação é de que os indicados foram Marcos Presídio, diretor financeiro da AL, e Gervásio Carvalho, diretor de Recursos Humanos, que já foi presidente da Embasa entre 1990 e 1991. 

Na Bahiagás, que continuará com o PCdoB, a indefinição é se fica o atual presidente, Luiz Gavazza, ou irá para o cargo Nilton Vasconcelos, ex-secretário de Trabalho na gestão Wagner. Na Bahiafarma, o PCdoB tenta manter a atual presidente Julieta Palmeira, irmã de Sidônio Palmeira (marqueteiro da campanha de Rui). Mas, segundo o senador Otto Alencar (PSD), o deputado estadual Alan Sanches, de seu partido, indicou nomes para a função a pedido do governador Rui e aguarda uma resposta.

O diretor do extinto  Departamento de Infraestrutura e Transportes (Derba), Saulo de Souza, deverá continuar  na agora Superintendência de Infraestrutura. Otto revela ter pedido ao governador que não modificasse nenhum nome na Secretaria de Infraestrutura. "Eles estão tendo bom desempenho, e está tão difícil hoje achar bons gestores públicos", disse.

Mudanças

Entre os que saem, um já está de malas prontas: o  diretor do Departamento Estadual de Trânsito (Detran), Maurício Botelho, que é ligado a Luiz Argôlo (SDD), deputado federal citado na Operação Lava Jato que não conseguiu se reeleger.

Outra mudança  é a provável troca de posições entre PT e PP. O partido do governador, que hoje comanda a Companhia de Engenharia e Recursos Hídricos (Cerb) dará  espaço para uma indicação do PP, que por sua vez deixará com o PT o comando  da Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR).

adblock ativo

Publicações relacionadas