adblock ativo

Senador governista diz que só Renan teve acesso às provas da CPI e quer anular investigação

Publicado às | Atualizado em 19/10/2021, 15:20 | Autor: Da Redação
O argumento de Marcos Rogério é que somente Renan Calheiros teve acesso às provas colhidas pela CPI I Foto: Jefferson Rudy I Agência Brasil
O argumento de Marcos Rogério é que somente Renan Calheiros teve acesso às provas colhidas pela CPI I Foto: Jefferson Rudy I Agência Brasil -
adblock ativo

O senador governista Marcos Rogério (DEM-RO) prepara um relatório paralelo ao documento elaborado pelo relator da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid, Renan Calheiros (MDB), que vai pedir a nulidade da investigação.

O argumento de Marcos Rogério é que somente Renan Calheiros teve acesso às provas colhidas pela CPI.

“Eu sustento a tese de nulidade do trabalho deles [grupo majoritário da CPI] porque impediu o acesso dos senadores às provas, só o Renan tinha acesso, então é nulo”, declarou o senador nesta segunda-feira, 18.

Muito criticado nas sessões da CPI, o foco nas ações do governo federal é outro assunto incômodo aos governistas e que embasam o relatório paralelo, chamado de "voto em separado", de Marcos Rogério.

A leitura do relatório final por Calheiros está marcada para esta quarta-feira, 20, mas a votação foi adiada para a próxima semana devido ao vazamento de minutas na imprensa, que causou um mal-estar entre os membros da comissão.

O presidente Jair Bolsonaro deve ser um dos alvos principais do inquérito proposto pela CPI, possivelmente enquadrado em pelo menos 11 tipos penais diferentes.

No voto separado elaborado por Marcos Rogério, o governo federal fica em segundo plano, pois, agiu para consertar os erros durante o enfrentamento à pandemia.

“Não há qualquer evidência que aponte para alguma conduta que tenha tido dolo, que tenha tido intenção. Todas as acusações que surgiram ali você não tem prova de nada. Nenhuma prova, nenhuma evidência. Erro teve, mas erro identificado e corrigido. Como é que você vai punir algo que quando você olha para ele a outra parte diz que já identificou esse erro e está corrigindo?“, questiona.

Mesmo com o recurso, a expectativa é que o material nem chegue a ser lido pela comissão, já que Renan tem a maioria dos votos e não deve encontrar resistência. Segundo informações do Poder360, o movimento serve mais como uma forma dos governistas marcaram território e mostrarem o seu empenho em defender o governo Bolsonaro.

adblock ativo

Publicações relacionadas