Após gastos com São João, prefeitura mantém estado de emergência

Município esteve na mira do Ministério Público da Bahia, que abriu procedimento para acompanhar contratos

Publicado terça-feira, 12 de julho de 2022 às 14:11 h | Atualizado em 12/07/2022, 18:21 | Autor: Rodrigo Tardio
Prefeito de Jequié, Zé Cocá (PP)
Prefeito de Jequié, Zé Cocá (PP) -

Mesmo após os gastos da gestão do prefeito Zenildo Brandão Santana, Zé Cocá (PP), com atrações durante os festejos de São João, Jequié manteve o estado de emergência, decretado em abril, por causa da seca que atinge a região sudoeste do estado.

Atrações como Tarcísio do Acordeon, Maiara e Maraísa, Mastruz com Leite, Felipe Araújo, Jonas Esticado, Cacau com Leite, Simone e Simaria, entre outras, se apresentaram no município, como informado inicialmente pelo Portal Políticos do Sul da Bahia.

Em junho, Jequié esteve na mira do Ministério Público da Bahia (MP-BA), já que o órgão instaurou em diversos municípios baianos procedimento administrativo para acompanhar o andamento dos contratos feitos por gestores para o São João.

Em relação ao estado de emergência por causa da seca, uma análise da Estação Meteorológica da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (Uesb) apontou que a estiagem deve afetar o município até o próximo mês de outubro, época na qual as chuvas devem voltar a cair.

Ao Portal A TARDE, a Prefeitura de Jequié  informou que o estado de emergência, decretado em abril, se deu pela baixa incidência de índice pluviométrico na região de sua circunscrição, que afeta diretamente a população da região rural. O comunicado diz ainda que a administração municipal  dispõe de seis carros-pipa que abastecem as demandas de água, na sede e na zona rural afetada.

Publicações relacionadas