Sindicato realiza campanha para evitar novos acidentes na construção | A TARDE
Atarde > bahia > Salvador

Sindicato realiza campanha para evitar novos acidentes na construção

Sintracom acompanha investigações do acidente que causou duas mortes e atua com prevenção

Publicado terça-feira, 30 de janeiro de 2024 às 06:20 h | Autor: Priscila Dórea
Diretoria do Sintracom-BA intensifica prevenção e visitou local do acidente ontem
Diretoria do Sintracom-BA intensifica prevenção e visitou local do acidente ontem -

Após o acidente em uma obra no Jardim Armação no último dia 26, que deixou dois mortos e um ferido, o Sindicato dos Trabalhadores na Indústria da Construção e da Madeira do Estado da Bahia (Sintracom-BA) voltou ao local na manhã de ontem. A visita foi feita com o objetivo de dar seguimento às investigações sobre o que causou o acidente, e foi feita junto a representantes da Superintendência Regional do Trabalho (SRT) e do Ministério Público do Trabalho (MPT), que abriu inquérito para apurar a morte dos dois trabalhadores.

“Fomos até lá verificar o que estava acontecendo no local e se as obras permaneciam paradas, já que fiscalizações ainda precisam ser feitas. As investigações estão em andamento e estamos acompanhando de perto”, afirmou o diretor do Sintracom-BA, Raimundo Brito, que explica que o sindicato oferece orientações através do Diálogo de Diário de Segurança, o DDS. “Algumas aceitam nos receber e outras não, mas a verdade é que esse trabalho não deveria ser feito por nós e sim por elas próprias, é uma questão de proteção coletiva”, pontua Raimundo Brito.

De acordo com o que já foi apurado, aponta o presidente do Sindicato da Indústria da Construção do Estado da Bahia (Sinduscon-BA), Alexandre Landim, o acidente ocorreu quando os funcionários - que são de uma empresa temporária - desmontavam o elevador de cremalheira (equipamento provisório montado em uma obra) e a cabine virou. Os dois operários que estavam no elevador, Mário César Alves dos Santos e Wellington da Conceição Abade, faleceram, e o sinaleiro Tomás Jorge de Santana Jesus, que estava do lado de fora, foi ferido.

“A primeira coisa a se dizer é que nós lamentamos e nos solidarizamos com os familiares desses trabalhadores, assim como seus amigos e colegas de trabalho. Desde o dia do acidente, nós acionamos um grupo de trabalho permanente de saúde e segurança do trabalho para buscar meios de evitar que acidentes como esse aconteçam outra vez. Já firmamos uma parceria com o Sesi e vamos dar início a uma blitz nos canteiros de obras das empresas associadas para verificar elevadores e outros equipamentos”, explica Alexandre Landim.

Quanto às causas e devidas providências do caso em questão, o presidente da Sinduscon-BA ressalta a importância dos órgãos competentes descobrirem se o trágico acidente foi causado por uma condição de insegurança (problemas no equipamento, ferramentas e afins) ou um ato de insegurança (um erro cometido pelos funcionários durante a desmontagem). “Esse caso mostra como é importante que as empresas continuem a investir em técnicos e engenheiros de segurança e programas de gerenciamento de risco. Cada obra oferece riscos diferentes e é papel das empresas os minimizar”, afirma.

Resposta

A assessoria da Engeltech Elevadores esclarece que foi citada "equivocadamente" em um boletim de ocorrência e que não tem nada a ver com o caso. Na verdade, a empresa responsável pelo elevador acidentado é a Eletech Elevadores, que divulgou nota lamentando "profundamente" o acidente e informando que está dando suporte às famílias das vítimas e colaborando com as autoridades na investigação das causas.

Em sua investigação, o MPT deverá contar com informações do Departamento de Polícia Técnica, Polícia Civil, Corpo de Bombeiros, Instituto Médico-Legal e, principalmente, a SRT-BA, órgão de fiscalização que em casos de acidentes fatais em ambientes de trabalho realiza perícia para verificar o cumprimento das normas regulamentadoras de saúde e segurança do trabalho para cada tipo de atividade.

Publicações relacionadas