Bahia vacila no fim, leva gol nos acréscimos e perde para o Atlético-GO

Publicado segunda-feira, 29 de novembro de 2021 às 18:50 h | Atualizado em 29/11/2021, 22:26 | Autor: Alex Torres

Com um gol nos acréscimos, o Bahia foi derrotado pelo Atlético-GO em 2 a 1, na noite desta segunda-feira, 29, no estádio Antônio Aciolly, em Goiânia, pela 35ª rodada do Brasileirão da Série A. O Dragão saiu na frente em pênalti batido por Marlon Freitas. O Bahia empatou com o colombiano Rodallega, mas viu Janderson marcar para o time mandante aos 48 da etapa final.

>>Veja tabela de classificação e jogos da Série A

O resultado não ajuda em nada o Tricolor de Aço na luta para tentar se distanciar da zona de rebaixamento. Com revés, a equipe comandada por Guto Ferreira segue na 16ª posição, com 40 pontos, mas pode ser ultrapassado pelo Juventude, que tem a mesma pontuação e encara o RB Bragantino nesta terça, no Alfredo Jaconi, em Caxias do Sul.

A próxima missão do Bahia não será nada fácil. O Esquadrão enfrenta o líder do campeonato, Atlético-MG, na quinta-feira, 2, às 19h, na Arena Fonte Nova, em Salvador. O duelo é válido por partida adiada da 32ª rodada do certame nacional.

Falta de pontaria

A primeira metade do confronto foi bastante truncado entre as equipes. O Bahia tentava subir suas linhas de marcação e forçar o erro do Atlético-GO, mas terminava vendo o Dragão apostar na velocidade para furar o bloqueio do Esquadrão e, assim, conseguir criar as melhores chances.

Logo aos 4 minutos, André Luís foi acionado nas costas da zaga tricolor. No entanto, o atacante acusou um toque por trás e se jogou dentro da área, mas o árbitro estava esperto no lance e mandou seguir.

Cinco minutos depois, o Tricolor de Aço tentou responder após bom avanço com Nino Paraíba pelo lado direito do campo. O camisa 2 enxergou Gilberto desmarcado dentro da área e tentou acionar o centroavante, mas a defesa goiana conseguiu afastar bem com o zagueiro Éder.

O primeiro lance de perigo real na partida só veio aparecer aos 15 minutos, quando o Dragão puxou contra-ataque em velocidade e João Paulo encontrou André Luís livre pela direita. O atacante furou na primeira finalização, mas, na segunda, exigiu boa defesa do goleiro Danilo Fernandes.

Com bastante dificuldade, aos poucos as chances iam aparecendo no estádio Antônio Accioly. Porém, as equipes terminavam pecando no momento da conclusão. Aos 26, o Dragão trocou passes até a bola sobrar com Marlon Freitas, que arriscou de fora da área e isolou.

A resposta do Esquadrão veio em dose dupla, mas da mesma forma. Após bate e rebate dentro da área, aos 31, Patrick de Lucca pegou a sobra e mandou por cima. No minuto seguinte, Gilberto repetiu a dose depois de ser acionada em profundidade. O centroavante matou no peito para tirar da marcação, só que pegou muito embaixo da bola.

O Atlético-GO também teve duas chances, aos 38 e 40, sendo ambas com Zé Roberto, mas, assim como a premissa de boa parte do primeiro tempo, o atacante errou as finalizações e mandou ao lado da meta defendida por Danilo Fernandes. Nos acréscimos, o Dragão ainda teve outra chance, em cruzamento que ninguém apareceu para empurrar.

Mais movimentação

Para corrigir as falhas na hora de concluir, Guto Ferreira mudou o sistema ofensivo. Rodallega entrou na vaga de Gilberto. Do lado goiano, Marcelo Cabo tirou o meia João Paulo e colocou o volante Rickson, que apareceu logo com poucos segundos, em cruzamento que passou na frente de Danilo Fernandes e Ronald mandou nas redes, mas pelo lado de fora.

Aos 2 minutos, Janderson conseguiu boa trama para o Dragão, ao passar pela marcação dupla do Bahia, mas cruzou nas mãos do goleiro tricolor. A resposta do Esquadrão de Aço veio aos 5, em cruzamento de Matheus Bahia e cabeçada de Rodriguinho, que Fernando Miguel defendeu sem dificuldades.

O duro golpe para o Bahia veio aos 13 minutos, quando Gustavo Henrique errou o domínio e perdeu a bola para Janderson. O atacante invadiu a área, foi derrubado por Lucas Mugni e o árbitro viu pênalti. Na cobrança, Marlon Freitas deslocou Danilo e abriu o placar para os donos da casa.

O gol fez 'Gordiola' mexer novamente no Esquadrão. Lucas Mugni e Rodriguinho saíram para entrada de Rossi e Daniel. A substituição fez efeito e, aos 25, Rossi desviou cruzamento pela esquerda e a bola sobrou para Rodallega. O colombiano ainda pegou mascado na bola, mas ela morreu no fundo das redes de Fernando Miguel.

Após igualar o placar, o Tricolor de Aço se lançou ao campo de ataque e teve excelente chance de virar o placar. Aos 32, o Bahia conseguiu puxar contra-ataque com ampla vantagem numérica de quatro contra um. No entanto, Nino tentou resolver tudo sozinho e foi desarmado por Pedro Henrique.

Balde de água fria

Apesar das chances criadas, a partida parecia caminhar para o empate. O Tricolor chegava no ataque com mais volume, mas faltava uma maior qualidade para transformar a oportunidade em gol, enquanto o Dragão parecia acomodado com mais um empate.

O "roteiro" só faltou ser acordado com Janderson. Aos 48, o atacante do time goiano recebeu o pivô do centroavante Lucão, puxou o contra-ataque e fuzilou a meta defendida por Danilo Fernandes, que só pôde olhar a bola entrando. O resultado findou o jejum de sete jogos do Dragão sem vencer e dificultou a vida do Tricolor na luta contra o rebaixamento. O Esquadrão ainda viu Juninho Capixaba ser expulso, aos 51, após falta por trás no mesmo Janderson.

  •  
 


Publicações relacionadas