'Messimania' agita Paris, a nova capital do esporte | A TARDE
Atarde > Esportes

'Messimania' agita Paris, a nova capital do esporte

Publicado quarta-feira, 11 de agosto de 2021 às 16:45 h | Atualizado em 11/08/2021, 16:54 | Autor: AFP
| Foto: Karim Jaafar | AFP
| Foto: Karim Jaafar | AFP -

Sonolenta, como sempre durante as férias de agosto, a cidade de Paris acordou agitada nesta quarta-feira, 11, com a presença de Lionel Messi, que estava hospedado a poucos metros do Arco do Triunfo.

>>Em apresentação, Messi diz querer conquistar título inédito para o PSG

O anúncio de sua contratação pelo Paris Saint-Germain movimentou uma capital francesa já entusiasmada por substituir Tóquio como sede dos próximos Jogos Olímpicos, em 2024.

Uma cidade que agora tem o melhor da atividade mais praticada no mundo e no horizonte a responsabilidade de sediar o maior evento esportivo do mundo, deixando a sensação que os próximos anos serão emocionantes em Paris.

Sem a enxurrada de turistas que fluíam para o Arco do Triunfo nos anos 'pré-pandêmicos', as atenções foram desviadas alguns metros para o charmoso hotel Royal Monceau, onde a família Messi passou sua primeira noite parisiense.

Logo pela manhã, centenas de torcedores cercaram o estabelecimento, onde quatro vans com vidros escuros aguardavam a saída do clã argentino: em uma coreografia perfeita, a cada movimento da porta giratória, cabeças e telefones eram esticados para registrar o momento.

'Preparem-se que ele já vem!'

"Messi, Messi... Preparem-se que ele já vem!", gritou um dos torcedores às 10H20 locais (05h20 de Brasília), quando sua esposa e os três filhos do casal saíram na frente do jogador, que vestia um terno impecável com uma gravata com as cores de seu novo clube.

A duas quadras de distância, na avenida Champs Elysees, outro local de muita movimentação neste dia, a recém-inaugurada loja oficial do PSG abriu as portas com um novo 'visual'. 'Bienvenue Leo Messi' ("Bem-Vindo Leo Messi", em francês) e uma bela foto do jogador com sua nova camisa estampada na vitrine.

Quando o estabelecimento abriu, às 09H30 (04h30 de Brasília), já havia uma fila formada com mais de 200 pessoas querendo comprar a camisa com o número 30.

Entre eles, um torcedor que vestia a camisa com o número 4 de Sergio Ramos, grande rival de Messi nos 'Clássicos' Real Madrid-Barcelona e seu novo companheiro de equipe. Depois de uma longa espera, ele conseguiu comprar a camisa do argentino por 180 dólares (157 euros).

Do lado de fora da loja, vários fotógrafos e repórteres-cinematográficos aguardavam a saída dos primeiros compradores para imortalizar suas imagens.

A loja ficou rapidamente sem o valioso produto. "Sou um fã de Messi, se tiver que ficar na fila o dia todo para conseguir sua camisa, ficarei", disse Djibril, de 23 anos.

Enquanto isso, os veículos que transportavam o jogador argentino e seu séquito chegaram ao seu destino: o estádio Parc des Princes.

A foto do atacante foi retirada da fachada do Camp Nou, estádio do Barcelona na terça-feira, para ressurgir na sua nova casa, com um novo uniforme e a mensagem "Bem-vindo, Leo Messi". Mais uma vez, centenas de fãs estavam esperando.

Messi, com o mesmo sorriso no rosto que exibiu ao desembarcar em Paris, apareceu pela primeira vez diante da imprensa.

'Tantos infortúnios...'

"Estou muito grato ao povo, foi uma loucura. Estive em Barcelona e as pessoas já estavam na rua. Quero agradecer a todos e vamos nos divertir muito", disse o argentino aos seus novos torcedores. Ao seu lado, o presidente do PSG, Nasser Al Khelaifi, que classificou o momento como "histórico", solicitou ao jogador de brincadeira que não pedisse um "aumento de salário", como forma de respeitar o 'fair play' financeiro da Uefa.

Os torcedores acompanharam a apresentação à imprensa fora do estádio através de um telão.

“Já passamos por tantos infortúnios ... Doze anos atrás jogávamos para não sermos rebaixados e agora temos Messi-Neymar-Mbappé, não acredito”, diz Mohamed, de 49 anos.

Conforme a coletiva se desenrolava, a atmosfera ficava mais tensa na parte externa, com fogos de artifício e sinalizadores acionados pelos integrantes das torcidas organizadas.

Na sala de imprensa estava o ex-jogador argentino Omar da Fonseca, agora comentarista de TV, que gritou ao final do evento: "Messi, Messi ... Vamos, Leo!".

Diante dos jornalistas, Messi se despediu com lágrimas nos olhos de sua antiga casa e agora chega com um grande sorriso em sua nova casa, em apenas quatro dias.

“O que eu quero é acabar com isso e começar a treinar. Tenho a mesma vontade de quando era um iniciante", disse o jogador.

Imagem ilustrativa da imagem 'Messimania' agita Paris, a nova capital do esporte
Foto: Bertrand Guay | AFP

Lionel Messi, em números

Alguns números da carreira no Barcelona do atacante argentino Lionel Messi, que foi apresentado nesta quarta-feira (11) como novo jogador do Paris Saint-Germain.

6: a quantidade de Bolas de Ouro, o prêmio individual de maior prestígio do futebol mundial, conquistado por Messi ao longo da carreira (2009, 2010, 2011, 2012, 2015, 2019), um a mais que o seu rival histórico, o português Cristiano Ronaldo. 

6: é também o número de vezes em que fez quatro gols numa única partida. Ele também balançou as redes três vezes em um jogo em 41 oportunidades. Além disso já fez cinco gols em um duelo. 

14: quantidade de gols marcados em uma temporada da Liga dos Campeões (2011/2012). Um recorde que Cristiano Ronaldo superaria dois anos depois (17). 

21: total de anos que passou no Barça desde que começou nas divisões de base, aos 13 anos. É também o número de rodadas consecutivas em que Messi marcou gols nos Campeonato Espanhol (LaLiga), na temporada de 2012/2013. 

26: número de gols marcados contra o grande rival Real Madrid. 

28: minuto do último gol com a camisa do Barça, contra o Celta de Vigo, no dia 16 de maio, derrota fora de casa que significou a perda do título do Espanhol. 

35: número de títulos conquistados pelo argentino com a camisa do Barcelona (4 Ligas dos Campeões, 10 Campeonatos Espanhóis, 7 Copas do Rei, 3 Supertaças da Europa, 8 Supercopas da Espanha e 3 Mundiais de Clubes. 

50: total de gols marcados por Messi no Campeonato Espanhol nos 38 jogos da temporada 2011-2012, um recorde na história do futebol em um grande campeonato. Naquela temporada, ele somou 73 no total (outro recorde). 

74,9: em milhões de euros, salário líquido de Messi no Barcelona, por temporada, segundo o jornal espanhol El Mundo. Em Paris, o seu salário é de cerca de 40 milhões de euros, segundo a imprensa francesa, o que o colocaria acima do amigo Neymar (36 milhões de euros), até agora o jogador de futebol mais bem pago da história do Campeonato Francês (Ligue 1). 

474: o número de gols marcados por ele no Campeonato Espanhol em 520 jogos pelo Barcelona (0,91 gols por jogo), recorde na história da competição, superior ao de Cristiano Ronaldo (451). 

542: quantidade de vitórias com o Barça. Em 778 jogos (outro recorde). 

671: total de gols marcados pelo Barcelona, contando todas as competições. 28 a mais que Pelé com Santos, entre 1956 e 1974.

245 milhões: o número de seguidores no Instagram. É uma das contas mais importantes da rede social.

A chegada de Messi ao PSG significará um aumento no número de 'seguidores' do seu novo clube. Antes do anúncio de sua contratação, era de 19,8 milhões. Nesta quarta, dia de sua apresentação em Paris, já estava em 43,1 milhões (e subindo)...

Publicações relacionadas

MAIS LIDAS