Porta do filme Titanic é leiloada por R$ 3,5 milhões | A TARDE
Atarde > A TARDE + > CINEINSITE

Porta do filme Titanic é leiloada por R$ 3,5 milhões

Casa de leilões explicou que não é a porta completa, apenas parte do conjunto

Publicado segunda-feira, 25 de março de 2024 às 21:05 h | Autor: Da Redação
Motivo de discussões sobre o fim de Titanic, a porta na qual Kate se salva no longa foi vendida durante um leilão
Motivo de discussões sobre o fim de Titanic, a porta na qual Kate se salva no longa foi vendida durante um leilão -

A famosa porta de madeira na qual Kate se salvou em Titanic foi vendida por R$ 3,5 milhões durante um leilão chamado Treasures from Planet, promovido pela Heritage Leilões.

Segundo a casa de leilões, o item é “parte da moldura da porta logo acima da entrada do lounge de primeira classe [do navio]”. Ou seja, não é a porta completa, apenas parte do conjunto.

Além da peça, outros objetos famosos em filmes também foram vendidos, como o chicote de Indiana Jones, que saiu por R$ 2,6 milhões e o machado de Jack Nicholson, de O Iluminado, arrematado por R$ 621 mil. Também foi leiloado o vestido usado por Kate Winslet no fim do filme, que saiu a R$ 621 mil.

Cardápio do Titanic é leiloado

Um exemplar do cardápio servido aos passageiros da primeira classe do Titanic foi vendido por 84 mil libras (cerca de R$ 490 mil), segundo informou a casa de leilões britânica Henry Aldridge & Son, no domingo, 12.

O menu, manchado de água, mostra o que alguns passageiros puderam pedir no jantar de em 11 de abril de 1912, poucos dias antes do naufrágio, em 14 de abril, quando 1.522 passageiros e tripulantes morreram depois do choque da embarcação contra um iceberg.

Entre as opções, havia ostras, cordeiro e pato, pratos como “Salmon Hollandaise” e “Squab à la Godard”, além de sobremesas como “Damascos Bordaloue” e “Pudim Victoria”. Delícias degustadas por ricaços como JJ Astor, Benjamin Guggenheim e Sir Cosmo Duff-Gordon.

O cardápio, que traz no topo um detalhe da bandeira vermelha da companhia marítima White Star Line, é o único exemplar conhecido da noite de 11 de abril, quando o navio partiu de Queenstown, na Irlanda, com destino a Nova York. Não está claro como ele deixou a embarcação, mas os danos causados ​​pela água sugerem que tenha sido recuperado do corpo de uma das vítimas.

O exemplar pertenceu ao historiador Len Stephenson, que era da Nova Escócia, no Canadá, para onde foram levados os corpos localizados depois do desastre. Stephenson morreu em 2017 e o cardápio foi encontrado recentemente por sua filha Mary Anita.

Publicações relacionadas