Nissan lança Leaf 2023 e BYD estreia D1 EV

Repaginado, Leaf chega às revendas Nissan e o compacto D1 EV será comercializado por venda direta para clientes pessoa jurídica

Publicado quarta-feira, 20 de julho de 2022 às 04:59 h | Atualizado em 19/07/2022, 21:43 | Autor: Núbia Cristina
Com design renovado e mais recheado de equipamentos, Leaf 2023 é distribuído nas 44 concessionárias Nissan
Com design renovado e mais recheado de equipamentos, Leaf 2023 é distribuído nas 44 concessionárias Nissan -

Apesar dos preços nas alturas, da elevada carga de impostos e da ausência de uma política nacional de incentivos, o Brasil segue a passos firmes rumo à eletrificação. As vendas de carros elétricos ou híbridos têm aumentado e as montadoras seguem disponibilizando uma gama cada vez maior de modelos. Esta semana, duas marcas anunciaram novidades para públicos distintos: a japonesa Nissan e a chinesa BYD.

A Nissan acaba de lançar o Leaf 2023, com design renovado e mais recheado de equipamentos. O modelo começa a ser distribuído para as 44 concessionárias da marca, homologadas para comercializar e realizar serviços de pós-vendas em veículos elétricos. O preço sugerido é o mesmo da linha anterior: R$ 293.790. O modelo 100% elétrico da Nissan foi lançado no Brasil no dia 18 de julho de 2019.

A linha 2023 do Leaf tem nova grade, adornada com o novo logotipo da Nissan, e mudanças no para-choque dianteiro. Os faróis agora têm acabamento interno preto (antes era cromado). As rodas de liga leve aro 17 de cinco raios imprimem novo design. Os defletores de vento dianteiros e traseiros agora são pretos (anteriormente eram azuis). 

O Novo Leaf tem sistema de som da Bose - com dois tweeters, quatro alto-falantes de longo alcance, um amplificador e um subwoofer. Outra inovação é o retrovisor interno inteligente (permite que as imagens da traseira do veículo sejam reproduzidas no retrovisor interno - tela de LCD - sem pontos cegos ou interferência dos apoios de cabeça do banco traseiro, por exemplo). 

O sistema de recarga localizado na parte frontal do veículo é novo. Além da ChadeMo, para carga rápida, a linha 2023 vem com entrada tipo 2, o padrão europeu, de sete pinos, mais comum nos pontos de recarga no Brasil. Há novas opções de cores: cinza shark com teto preto e vermelho magnético com teto preto. 

Motorização

Composto por um motor 100% elétrico, um sistema de baterias e um inversor, o e-Powertrain impulsa os veículos elétricos da Nissan, inclusive o Leaf 2023. Trata-se de um sistema leve e compacto em comparação aos motores de combustão interna, produzindo vibrações muito baixas e torque instantâneo.

O e-Powertrain não emite CO2, consome menos energia que um motor de combustão e não requer complementos nem peças móveis, que se desgastam com o calor e o atrito (partes do sistema de refrigeração ou de ignição, óleos, válvulas, pistões, entre outros).

Segundo a marca, o conjunto de baterias de íon-lítio de 40 kWh proporciona desempenho linear, ao entregar potência equivalente a 150 cavalos (110 kW) e torque de 32,6 kgfm, A bateria de íon-lítio tem 272 km de autonomia no Inmetro.

D1 EV

A BYD lança no mercado brasileiro esta semana seu terceiro modelo elétrico, o D1 EV. O compacto desenhado para condutores de aplicativos será comercializado por meio de venda direta (B2B), para clientes pessoa jurídica, por R$ 269.990,00. Chega disponível na versão GS, com opção de cor em branco. Já estão sendo vendidos no Brasil o SUV de sete lugares, Tan EV, e o sedã Han EV. 

A garantia BYD é de dois anos ou 100.000 km para o veículo e de cinco anos para as baterias ou 500.000 km. O novo modelo da BYD é equipado com um motor elétrico de 136 cv, que é alimentado pela Bateria Blade da BYD, proporcionando uma autonomia (NEDC) de até 371 km.

Com estilo monovolume, o BYD D1 EV tem espaço para cinco ocupantes e mede 4.390 mm de comprimento,1.650 mm de altura e 1.850 mm de largura, tendo entre-eixos de 2.800 mm. Enquanto do lado esquerdo e na dianteira, o modelo dispõe de portas convencionais, a traseira direita é do tipo deslizante, de acionamento motorizado, o que facilita a entrada e saída dos passageiros do compartimento traseiro.

Segundo a BYD, a combinação de maior ângulo de abertura, assoalho plano e menor altura em relação ao solo (12,5 cm) também contribuem para o acesso de pessoas com mobilidade reduzida.

Controlador de velocidade adaptativo, acendimento automático dos faróis, ar-condicionado Dual Zone, acesso por chave presencial e partida por botão fazem parte do pacote de equipamentos do BYD D1 EV. No interior, há suporte para telas de entretenimento, bagageiro suficiente para malas de viagem e amplo espaço para pernas e bolsas. As luzes de leitura são direcionadas para não ofuscar a visão.

Lançado no mercado chinês em 2020, o BYD D1 EV foi desenvolvido em parceria com a DiDi Chuxing, empresa também chinesa de mobilidade, que presta serviços de transporte, como táxi, car sharing, aluguel de carro com ou sem motorista e transporte de cargas. No Brasil, a companhia é dona da 99.

Vendas de veículos 100% elétricos crescem 19% no semestre

No Brasil, foram emplacados 3.395 veículos 100% elétricos, ou puros, no primeiro semestre deste ano, 19% acima de todos os BEVs (veículos 100% elétricos a bateria) vendidos em 2021 (2.851), de acordo com a Associação Brasileira do Veículo Elétrico (ABVE). Em relação a 2020, o aumento dos BEVs no semestre foi de 324% (3.395 de janeiro a junho de 22, contra 801 de janeiro a dezembro de 20).

Segundo a entidade, esse crescimento foi puxado principalmente pelos veículos comerciais leves, como vans, picapes e furgões. No total, foram 1.089 emplacamentos de BEVs só em junho, que representaram 27% do total de eletrificados vendidos no mês (4.073).

Destes, 482 foram veículos comerciais leves 100% elétricos – 44% do total de BEVs comercializados no mês (1.089) ou 12% de todos os eletrificados (4.073).

Esses números confirmam a estimativa da ABVE de que o setor de cargas urbanas leves terá participação crescente na eletrificação do transporte no Brasil. Cada vez mais, empresas de logística e grandes varejistas adotam a Agenda ESG (Environmental, Social and Corporate Governance), apoiando o transporte sustentável.

Segundo o presidente da ABVE, Adalberto Maluf, o aumento expressivo da infraestrutura de recarga pública e semipública no Brasil tem contribuído para o crescimento das vendas do segmento.

“Já há em torno de 1.500 eletropostos disponíveis hoje nas principais cidades e rodovias, devendo chegar a 3 mil até o final do ano e a 10 mil em três anos”.

Publicações relacionadas