adblock ativo

Assembleia condecora mãe Stella de Oxóssi

Publicado sexta-feira, 14 de agosto de 2015 às 22:19 h | Atualizado em 14/08/2015, 22:19 | Autor: Jair Mendonça Jr.
Waldir Pires
Waldir Pires -
adblock ativo

A religiosa Maria Stella de Azevedo Santos, a mãe Stella de Oxóssi, ialorixá do terreiro Ilê Axé Opô Afonjá, um dos mais  tradicionais de Salvador, foi agraciada, nesta sexta-feira, 14, na  Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA) com a maior honraria do Poder Legislativo, a Comenda 2 de Julho.

Criada em 1999, a distinção  é concedida a pessoas que contribuem para o desenvolvimento político e administrativo da Bahia e do Brasil.

Líderes religiosos, políticos e membros de vários terreiros participaram da homenagem, proposta do deputado Marcelino Galo (PT).

"É a primeira autoridade religiosa de matriz africana a receber a comenda", disse o parlamentar. "A maioria absoluta dos deputados aprovou, não só pela liderança e capacidade intelectual dela, mas, sobretudo, pela importância cultural de mãe Stella", acrescentou.

Presente na cerimônia, o professor e secretário de Cultura do estado, Jorge Portugal, falou  que mãe Stella "é a matriarca dessa Roma negra que é a Bahia".

Para Portugal, ela tem "mania" de ser a primeira: "É a primeira sacerdotisa de matriz africana a ocupar uma cadeira na Academia de Letras da Bahia, a primeira a se formar em enfermagem, a primeira a ter uma coluna de opinião no Jornal A TARDE, é primeira em tudo".

Secretária

Representando o governador Rui Costa,  a secretária de Promoção da Igualdade Racial, Vera Lúcia Barbosa, destacou os feitos de mãe Stella. "Ela é  um marco na luta pela  igualdade racial e social e intolerância religiosa. Fez isso como ninguém, sem ofensas. É um grande exemplo de mulher", disse.

Mãe Stella é uma das personalidades mais importantes da cultura baiana. A relevância se traduz em livros e  ações, como a criação do museu Ilê Ohun Lailai, da escola Eugênia Anna dos Santos e da feira de cultura africana Afonjá.

adblock ativo

Publicações relacionadas