adblock ativo

Em greve, trabalhadores da construção pesada fazem protesto no centro

Publicado sexta-feira, 17 de abril de 2009 às 10:38 h | Atualizado em 17/04/2009, 10:38 | Autor: A TARDE On Line
adblock ativo

Em greve desde esta terça-feira, 14, para cobrar melhorias trabalhistas, os funcionários nas Indústrias da Construção de Estradas, Pavimentação, Obras de Terraplanagem e Manutenção Industrial da Bahia, ligados ao Sintepav, realizam uma manifestação na manhã desta sexta-feira, 17, no centro da cidade.

A categoria fez, no início da manhã, uma assembléia em frente ao Fórum Ruy Barbosa, no centro da cidade, onde ficou decidido que a paralisação, que atinge 30 dos 35 mil trabalhadores em todo o Estado, vai continuar. De lá, os trabalhadores saíram em caminhada pela Avenida Sete em direção à Praça Municipal, segundo o presidente do Sintepav, Bebeto Galvão.

Nesta quinta, os representantes do sindicato rejeitaram a proposta dos dirigentes do Gasoduto - que fará o transporte de gás natural entre o terminal de Cabiúnas, no Rio de Janeiro e o município baiano de Catu, onde existe uma unidade de processamento de gás natural da Petrobras.

Os trabalhos no local foram interrompidos desde esta quinta e a diretoria das obras do Gasoduto quis fechar um acordo específico para os trabalhadores, oferecendo cesta básica, a partir de junho, de R$ 110; hora extra, de segunda a sexta-feira, a 50%, as duas primeiras horas trabalhadas e 100%, a terceira - além de 100%, para o sábado e 120% para domingos e feriados. Foi proposto também aumento salarial de 9%.

Os trabalhadores afirmam que voltam aos serviços se a cesta básica for paga a partir do mês de março. Outra condição para a greve chegar ao final é o pagamento de hora extra a 60% durante a semana, de segunda a sexta-feira, e 120% nos outros dias (sábados, domingos e feriados) mais reajuste salarial de 12,5% para todos os funcionários. Antes, a categoria havia solicitado 14% de aumento.

A paralisação motivou a interrupção das atividades em obras de irrigação dos municípios de Xique-Xique e Irecê, de pequenas centrais hidrelétricas no oeste, de empresas de mineração em Ipiaú e Itagibá, das obras do metrô na capital baiana, do emissário submarino, da via portuária e de diversas obras em estradas baianas.

adblock ativo

Publicações relacionadas