Cacique é preso em operação contra garimpo em terra indígena

Liderança é suspeita de receber 20% do ouro extraído ilegalmente em região do Mato Grosso

Publicado segunda-feira, 21 de março de 2022 às 15:20 h | Atualizado em 21/03/2022, 15:20 | Autor: Da Redação
Operação também prendeu um servidor da Fundação Nacional do Índio (Funai)
Operação também prendeu um servidor da Fundação Nacional do Índio (Funai) -

Uma operação realizada pela Polícia Federal no Mato Grosso contra o grampo ilegal em uma terra indígena prendeu um servidor da Fundação Nacional do Índio (Funai) e uma liderança indígena. 

De acordo com a PF, a liderança é suspeita de receber 20% do ouro extraído ilegalmente na região, entre os municípios de Juína e Aripuanã. Já o servidor da Funai atuaria como agente duplo, vendendo a garimpeiros informações prévias sobre operações contra crimes ambientais. Ainda está foragido o dono das máquinas que teria recebido esse aviso.

A suposta associação criminosa foi identificada por meio da análise de dois celulares apreendidos. A PF informou que prossegue com as investigações para identificar outros envolvidos na prática.

Conforme a Constituição, as riquezas dos solos, rios e lagos em terras indígenas são para usufruto exclusivo dos povos que nelas habitam. A Câmara dos Deputados vota em abril um projeto de lei que libera a atividade mineral nessas regiões.

Publicações relacionadas