A inovação no tratamento da obesidade | A TARDE
Atarde > Colunistas > Artigos

A inovação no tratamento da obesidade

Novas tecnologias ajudam no trantamento da doença e garantem maior qualidade de vida para pacientes

Publicado quinta-feira, 15 de fevereiro de 2024 às 18:29 h | Autor: Marcelo Falcão*
Imagem ilustrativa da imagem A inovação no tratamento da obesidade
-

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), a obesidade é uma doença crônica, progressiva e com impacto de epidemia global. De acordo com a Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM), 60% dos adultos precisam perder peso. Diante desse cenário, a tecnologia, presente em várias áreas da saúde, também cresce cada vez mais como uma ferramenta de suporte para tratar a obesidade. Um exemplo dessa evolução é o balão deglutível e biodegradável, o primeiro e único balão gástrico deglutível do mundo, sem necessidade de procedimentos, apoiado pelo Programa Allurion, que faz com que o indivíduo coma menos e, consequentemente, consiga perder peso em um curto espaço de tempo.

Realizado durante uma consulta de 15 minutos, sem cirurgia, sem endoscopia e sem anestesia, o balão vazio é colocado dentro de uma cápsula vegana e engolido da mesma forma que um suplemento vitamínico. Presa a um tubo fino, denominado catéter, a cápsula é engolida e um raio-X é usado para confirmar o posicionamento correto no estômago. O médico então utiliza esse mesmo catéter para encher o balão com 550ml de água. A partir daí, uma segunda radiografia é feita para verificar se o balão está cheio e bem encaixado no estômago. Por fim, o catéter é removido suavemente e a colocação é concluída.

Uma equipe especializada de médicos, nutricionistas e, em alguns casos, psicólogos e um conjunto completo de ferramentas digitais estão integrados ao programa. O objetivo? Para ajudar o paciente a iniciar hábitos de vida mais saudáveis, mude sua mentalidade e capacite-o a manter a perda de peso a longo prazo. A perda de peso sustentada é possível graças ao apoio dedicado e personalizado fornecido pelos médicos e nutricionistas da clínica Allurion durante todo o programa.

Aproximadamente quatro meses após a colocação, uma válvula de liberação ativada por tempo se abre automaticamente, permitindo que o balão esvazie e saia naturalmente pelo trato gastrointestinal. Com o Programa, não existem dietas especiais, alimentos da moda ou regimes de exercícios extremos. Em vez disso, são estabelecidas metas alcançáveis, e importantes, para manter a perda de peso depois que o balão for expelido. O balão deglutível é indicado para quem tem entre 18 e 65 anos e possui Índice de Massa Corpórea (IMC) acima de 30 com obesidade grau I.

O Programa pode ser uma alternativa para públicos específicos que exigem um cuidado maior com a saúde. Casos dos pacientes super obesos, que têm um risco maior à anestesia, ou de quem precisa emagrecer rapidamente. É importante ressaltar que estamos falando de uma jornada multidisciplinar que envolve apoio nutricional, psicólogo e fisioterapeuta, já que um dos objetivos principais é reajustar a mentalidade do indivíduo em relação à alimentação e ao estilo de vida, para uma sustentação de resultado a longo prazo e manutenção da saúde, que também está bastante atrelada à atividade física. Com o crescente número de pessoas obesas e acima do peso, é fundamental adotar, na medida do possível e dentro das possibilidades de cada um, uma rotina de vida mais saudável. Na medicina, notamos um avanço significativo e gradual no que se refere à chegada de novas tecnologias focadas em questões que envolvam saúde pública e envelhecimento saudável. O balão deglutível é uma das ferramentas recentes que chegou para reforçar o arsenal no combate à obesidade, problema que cresce, principalmente, entre a população jovem, pela falta de equilíbrio entre uma alimentação balanceada e a realização de exercícios físicos. Quando falamos em controle de peso e combate à obesidade, a busca por um médico especialista é fundamental para que o profissional, junto com o paciente, defina o melhor método para a obtenção do resultado desejado.

*Marcelo Falcão, médico especialista em obesidade, cirurgião do aparelho digestivo e diretor do Instituto Falcão de Endoscopia e Cirurgia (IFEC)

Publicações relacionadas