Momó Souto barra na Justiça site que vendia jingles plagiados

Publicado quarta-feira, 30 de setembro de 2020 às 06:02 h | Atualizado em 29/09/2020, 22:33 | Autor: [email protected]

Autor de longa coletânea de jingles famosos, ganhador de vários prêmios, tendo como clientes a Rede Bahia, Jaques Wagner, Rui Costa e Flávio Dino, governador do Maranhão, o publicitário Moisés Souto, ou simplesmente Momó Souto, descobriu uma pérola: a empresa Estúdio Jingle Brasil oferece jingles para mídias sociais, políticos, vinhetas e afins. Detalhe: muitos dos jingles são de autores conhecidos, inclusive ele.

Jingle é uma criação musical, o direito autoral é sagrado. Ontem, o juiz Maurício Albagli Oliveira, da 6ª Vara de Causas Comuns, concedeu liminar proibindo a empresa Jingle Brasil, de propriedade de Paulo Geovane Magalhães, de veicular, por qualquer meio, inclusive a internet, jingles por ela produzidos.

Protestos — Momó exibiu para a Justiça fartas provas dos jingles dos quais é o autor copiado. Ou melhor, só muda a letra. Um dos compradores disse que pensou tratar-se de algo normal.

O advogado Rodrigo Moraes, professor de direito autoral da Faculdade de Direito da Ufba, que trabalhou no caso, diz ser algo absolutamente inédito alguém fazer em série esse tipo de coisa.

– O nome disso é plágio, uma violação do direito autoral. E é claro que é passível de ações indenizatórias por danos morais e materiais.

Fala Momó Souto:

– Eu só acho que a Justiça deveria punir também quem compra. Isso obrigaria políticos e partidos a terem cuidado no ato de contratar.

Zé Neto, o mais rico da peleja

O deputado Zé Neto (PT), prefeiturável em Feira de Santana, duelando com o prefeito Colbert Martins (MDB) pela ponta da disputa, entrou no tiroteio a partir dos registros do DivulgCand, site oficial dos registros de candidaturas.

Nele, com um patrimônio de R$ 2,536 milhões, é o mais rico entre os nove de Feira. Na lista de bens, aparece a participação de 33,3% num monomotor de três lugares, coisa velha, mas, turbinado pelos adversários dele, vira jatinho.

Herzem, quase mais pobre

Aliás, pelas declarações, Zé Neto é o mais rico entre as três maiores cidades da Bahia, Salvador, Feira e Conquista. Atrás vem Zé Raimundo (PT), deputado estadual e também prefeiturável em Conquista,  com R$ 2,350 milhões.

O mais rico na capital é Celsinho Cotrim (PROS), com R$ 2,181 milhões, e o mais pobre Hilton Coelho (PSOL), com R$  127 mil. Outro pobre é Herzem Gusmão (MDB), prefeito de Conquista: R$ 151 mil, incluindo poupança de R$ 130.

Lençóis e a briga da Covid

O trade turístico de Lençóis está à beira de um ataque de nervos. Em tudo quanto é lugar a flexibilização das restrições impostas pela pandemia avançam, mas lá o prefeito Marcos Ailton (Republicanos) impôs como condição na reabertura, a partir de amanhã, que os visitantes apresentem teste de Covid de 72 horas antes.

A questão é que um teste lá está custando R$ 100. E, em vez de pagar, os turistas preferem ir aonde não cobram.

Viaturas de luxo na Costa do Descobrimento

Está fazendo sucesso nas redes sociais da Costa do Descobrimento a foto de uma Mercedes-Benz, carro de luxo, plotado com as cores, marca e emblema da PM como uma viatura normal.

Não, não é fake. O major Gideon, chefe da assessoria de comunicação da PM, diz que a Vara da Justiça Criminal de Porto Seguro cedeu (cessão de uso) ao 8º Batalhão da PM, (com parecer favorável do Ministério Público), a Mercedes e um Ford Fusion. Dia 9 próximo, quando novas instalações do quartel serão inauguradas, as duas viaturas serão oficialmente incorporadas e apresentadas.

Inicialmente a foto foi vista com desconfiança, depois virou brincadeira. Dizem que gringo criminoso lá agora terá viatura de luxo.

REGISTROS

Debate na Band

A TV Bandeirantes dá o start na campanha 2020 da mídia eletrônica amanhã (23h) realizando o primeiro debate entre os prefeituráveis de Salvador. Frente a frente, sete dos nove candidatos: Bacelar (Podemos), Bruno Reis (DEM), Celsinho Cotrin (PROS), Olívia Santana (PCdoB), Hilton Coelho (PSOL) e Sargento Isidório (Avante). A jornalista Carolina Rosas fará a mediação. Por conta da pandemia, o acesso será restrito.

Democracia forçada

A Rádio Sisal, de Conceição do Coité, vai ser obrigada a entrevistar Danilo Oliveira nesta quarta, 20h, por decisão judicial. Antes da campanha, a emissora entrevistou Marcelo Araújo (DEM) e se recusou a dar o mesmo tratamento ao adversário. Detalhe: a rádio é de Marcelo. Ele pensou que pode fazer como quer.

Carreata zero

Além de comícios e caminhadas, carreatas estão proibidas em Santo Antônio de Jesus, Elísio Medrado e Varzedo. A decisão foi conjunta, de juízes, promotores e partidos.

Confea e Crea-BA

Engenheiros, agrônomos, geólogos e urbanistas vão às urnas  nesta quinta eleger  os presidentes do Confea e do Crea-BA e diretorias.

Publicações relacionadas