O Carrasco - Rebuliço em Camaçari | A TARDE
Atarde > Colunistas > O Carrasco

O Carrasco - Rebuliço em Camaçari

Os bastidores da política passam por aqui

Publicado segunda-feira, 08 de abril de 2024 às 00:00 h | Autor: Da Redação
Os bastidores da política passam por aqui
Os bastidores da política passam por aqui -

REBULIÇO EM CAMAÇARI

A pesquisa AtlasIntel/ A TARDE divulgada hoje mostrou um cenário completamente indefinido para as eleições municipais de Camaçari. Se quiser manter as mãos na taça, Elinaldo e seu pré-candidato, Flávio Matos, terão que acionar dois cardeais da política baiana para passar sebo nas canelas e participar de forma efusiva na política local. ACM Neto e João Roma podem ser o divisor de águas contra o retorno do petismo, que continua mais vivo do que nunca no mais abastado município da região metropolitana.

GATUNA S/A

Depois de um ano vivendo um romance caliente com partidos da base aliada ao prefeito Bruno Reis, eis que surge a notícia de que a ex-vereadora Ana Rita Tavares se filia ao MDB para mais uma fracassada candidatura à Câmara Municipal de Salvador. Atenção lideranças comunitárias e políticas soteropolitanas: corram dessa senhora. Atenção fornecedores: recebam por seus serviços antecipadamente, porque senão é birro na certa. O Carrasco vai futucar seus arquivos para relembrar ao eleitorado do que ela já foi acusada no passado. Do não pagamento de aluguéis à suposta rachadinha, que teria sido verbalizada por uma ex-assessora. Coisas horríveis.

SEGUNDO PLANO

O Ministério Público precisa entrar pesado na investigação de operadoras dos planos de saúde. Um exemplo nefasto é a Sulamérica, que maltrata clientes de planos individuais, os quais sofrem para conseguir um simples atendimento. Até a marcação de exames laboratoriais tem sido difícil. Enquanto isso os reajustes são constantes. O que parece é que os clientes individuais estão sempre em segundo plano e que a operadora quer mesmo é eles bem distante. Um descaso!

FALTABUCKS

Com pompa de multinacional e de certa forma recém chegada em Salvador, as lojas da Starbucks parecem não contar com o intenso movimento visto nos primeiros meses de funcionamento. Talvez a explicação seja pela falta de alguns itens que completam os produtos oferecidos. Na primeira loja da capital baiana, localizada em um shopping center, por exemplo, há mais de 1 mês não tem uma simples canela, item que é encontrado na prateleira de qualquer supermercado.

DINHEIRO MINADO

O Carrasco está de olho nas prefeituras que receberam boladas milionárias oriundas dos Royalties da Mineração. A TARDE trará em breve os números do IDEB de tais municípios, que não investem em Educação, sobretudo os que estão na lista dos dez que mais receberam os valores na Bahia e não mostraram evolução. O dinheiro foi minado?

ADÉLIA, JABES E XADREZ

Em Ilhéus, a tendência das eleições vai ser Valderico Júnior ou Jabes Ribeiro pela oposição e a ex-secretária Adélia Pinheiro, pelo PT. Ex-reitora, Adélia entra representando a força da mulher e traz a relação que possui com o Governo, além da estrutura partidária, do bom trabalho que fez na Secretaria de Educação e do apoio que terá de Jerônimo e Lula. Quanto ao candidato Bento, de Marão, este será um problema de Justiça. Os adversários dele serão as denúncias e as graves acusações que estão arroladas em processos juntos ao MP.

O PAU MANDADO

O atual superintendente do DNIT, Roberto Alcântara, ex-vereador do município de Ribeira do Pombal e que foi indicado pelo deputado federal Ricardo Maia, acumula mais do que insatisfação por parte dos servidores do órgão. As críticas por não fazer parte de um quadro técnico se confirmam agora com as reclamações de usuários e prefeitos, que cobram mais serviços e reparação em trechos das BRs que cortam a Bahia. Sem esconder, Alcântara segue ainda pagando de vereador e atende somente aos municípios de Ribeira do Pombal, Tucano e Araci, todos de interesse do padrinho.

ALI JAZ, O VAZ I

O prefeito de Irecê, Elmo Vaz, mantendo seu jeito tosco de fazer política, decidiu de forma isolada o nome do vereador Murilo Franca como sucessor. A escolha, que desagradou o meio político e foi muito mal recebida pela população, para muitos só tem uma justificativa: o prefeito Elmo quer o seu ‘terceiro mandato’ deixando em sua cadeira um mero gerente.

ALI JAZ, O VAZ II

A falta de diálogo do prefeito Elmo Vaz com a sua base o deixou isolado e com partidos que hoje se resumem a meras siglas, pois as forças das suas militâncias escolheram o outro lado. O maior exemplo desse esvaziamento partidário foi a desfiliação do vice-prefeito, Erício Batista, do Partido dos Trabalhadores, após mais de 20 anos de militância.

PASSADO SOMBRIO

Jequié tem mudança no secretariado. Dessa vez a nomeação assinada pelo prefeito Zé Cocá foi a de Camilo Barbosa de Souza, que foi exonerado do cargo em comissão de Diretor de Planejamento e Marketing Esportivo e nomeado como secretário de Esporte e Lazer. Até aí tudo bem. Só é bom lembrar que o atual nomeado foi preso pela Polícia Civil, em 2016, acusado de se passar por advogado durante uma audiência realizada no Fórum Antônio Carlos Magalhães, no município de Itagibá. À época, Camilo era bacharel em direito e teria apresentado o número de Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) de outra pessoa.

FORMAÇÃO À VISTA

O PDT entrou com força visando pleitear a vaga de vice na candidatura de José Ronaldo à Prefeitura de Feira de Santana. A sigla, inclusive, já teria nomes como o ex-deputado federal Sérgio Carneiro ou o empresário Zé Chico. Informações de bastidores dão conta de que Zé Ronaldo prefere Zé Chico, que recebeu mais de 35 mil votos em Feira de Santana na eleição para deputado federal de 2022. Quem pode entrar nesse baba pra embolar o meio de campo é o empresário Wilson Falcão.

JUNTINHOS

Não convenceu muito a justificativa de Colbert Martins sobre o encontro com o senador Flávio Bolsonaro (PL), na Praia do Forte. O prefeito de Feira diz que não passou de uma "casualidade" e que não tratou de qualquer assunto político com o filho do ex-presidente da República. Não muito amado pelo MDB, é bom que o prefeito de Feira procure se aproximar de outra sigla. Quem sabe foi o início?

PF NA ÁREA

Há quem tenha visto a visitinha que agentes da Polícia Federal fizeram ao município de Dias D'Ávila, Região Metropolitana de Salvador, para cumprir diligências de fiscalização e vistoria em processos de licitação relacionados à gestão da ex-prefeita Jussara Márcia, entre os anos de 2013 e 2020. O foco teria sido em contratos, como a da construção da Unidade de Pronto Atendimento (UPA), a ampliação do Hospital Dilton Bispo de Santana, bem como da reforma de três unidades básicas de Saúde.

OLHO NA COERÊNCIA

As bancadas de oposição na Câmara de Salvador e da Alba precisam atentar para a coerência. O grupo político que, no município, pede empréstimos, reclama dos empréstimos pedidos pela gestão estadual. E o que solicita os créditos financeiros no estado, no âmbito municipal, critica os créditos solicitados pela prefeitura. Não dá pra ser uma coisa lá e outra cá, senão vira hipocrisia.

ESFRIOU

João Roma, que até então estava pleiteando candidatura à Prefeitura de Salvador, parece ter desacelerado na ideia. Nos bastidores, o comentário é que o ex-ministro deve anunciar o apoio do PL a Bruno Reis, carimbando de vez um fortalecimento na caminhada do atual prefeito de Salvador para uma expressiva votação nas próximas eleições, caso o cenário atual mostrado por AtlasIntel e A TARDE permaneça. Um ato de nobreza, pois caso se mantivesse na disputa, a coisa poderia ficar um pouco apertada.

BOLSONARO, DEODORO E O GOLPE

Investigado pela Polícia Federal por suspeita de fomentar a tentativa de golpe de Estado no Brasil, Jair Bolsonaro (PL) escolheu receber o calor dos seus apoiadores de Alagoas na semana passada. Inclusive visitou Marechal Deodoro, município que leva o nome do primeiro presidente da República da história. Deodoro da Fonseca foi também o primeiro presidente a tentar dar um golpe de Estado. Coincidências, não?

EFEITO TECON I

O Sindicato de Caminhoneiros Autônomos afirma que, supostamente, os trabalhadores estariam insatisfeitos com a escorreita regulamentação do pátio da CODEBA, após fiscalização do Ministério do Trabalho. A categoria ameaça realizar uma injusta paralisação nesta segunda-feira (8). Ninguém sabe ao certo a pauta, já que não existe um pleito formal.

EFEITO TECON II

A propósito, a regulamentação e reorganização do pátio da CODEBA resolveu um problema histórico de ocupação desordenada, que se arrastava há decadas e incluía estacionamento irregular e até venda ilegal de alimentos. O problema é que agora a verdadeira causa dos engarrafamentos foi revelada. Os fluxos do próprio TECON que terão de ser revistos.

SETE RAZÕES PARA NÃO INVESTIR - XII

O Carrasco vem pela décima segunda vez alertar aos investidores da Baía de Todos os Santos que o "mar não está pra peixe" com o tsunami japonês que atracou nos SEVEN mares. O "expurgo" da quase falida moralmente empresa de investimentos de um pequeno vertebrado golpista é inevitável. As vítimas estão se mobilizando para levar os fatos até as circunscrições policiais, tendo em vista as peripécias que aprontou o peixinho da “rasgada” e do “backhand" e sua comparsa coligada. A situação é muito preocupante para aqueles que estão no cardume dos SEVEN mares, pois os concorrentes do mercado apostam em perda de prestígio e também retaliações por parte de outros bancos. E agora? Será que um peixinho vai ser fisgado pelo tubarão? Acredita-se que sim, pois ele tem deixado muitos com "sangue no olho". Em breve, muito breve mesmo, teremos um desfecho acerca do pequeno vertebrado.

ENQUADRADA

O repórter Marcelo Castro, que de fato é um sucesso de audiência, começou muito mal e por isso leva a enquadrada da semana. Se dizem que até no mundo do crime tem de existir ética, quanto mais no jornalismo investigativo. Pilhado por notícias verdadeiras dando conta da polêmica investigação dos desvios do pix, na qual é o principal suspeito, porém ainda não foi condenado, Castro vociferou, lamentavelmente, assuntos estritamente pessoais e familiares contra alguns de seus algozes. O jovem repórter, cujo procedimento de investigação criminal que responde é público e, portanto, publicável, não deveria tratar de assuntos familiares ou de processos que, caso existam, devem correr em segredo de Justiça, dada a natureza do tema.

Publicações relacionadas

MAIS LIDAS