adblock ativo

"A República do Reggae é o palco principal da minha carreira", diz Edson Gomes

Publicado sexta-feira, 29 de novembro de 2019 às 10:23 h | Atualizado em 21/01/2021, 00:00 | Autor: Thaís Seixas
Edson Gomes é uma das atrações do festival, que ocorre neste sábado | Foto: Divulgação
Edson Gomes é uma das atrações do festival, que ocorre neste sábado | Foto: Divulgação -
adblock ativo

Salvador vai se transformar na capital do reggae neste sábado, 30, com a 16ª edição do maior festival do ritmo na América Latina. A República do Reggae 2019 vai reunir grandes nomes nacionais e internacionais, que apresentam estilos e influências diversas. Diretamente da Jamaica, desembarcam no evento as bandas The Congos, The Gladiators e Israel Vibration, além dos cantores Max Romeo e Clinton Fearon. Já o reggae brasileiro será representado pelo grupo carioca Ponto de Equilíbrio e pelos baianos Edson Gomes, Sine Calmon e Adão Negro. Os shows ocorrem no Wet'n Wild (avenida Paralela), a partir das 18h.

O reggaeman Edson Gomes destaca que o festival é responsável pelo fortalecimento de artistas da nova geração do reggae. “Vejo com bons olhos essa oportunidade que é dada para as novas bandas. O reggae precisa de sangue novo, gente que possa fortalecer o movimento que luta por justiça e igualdade”.

Já consagrado no cenário nacional e autor de sucessos como Malandrinha, Árvore, Camelô e Fogo na Babilônia, Edson Gomes também reconhece a importância do evento para a própria carreira. “Não que os outros palcos não tenham sido importantes, mas a República do Reggae tem sido o palco principal da minha carreira e em minha luta pela causa popular”, ressalta o artista.

Imagem ilustrativa da imagem "A República do Reggae é o palco principal da minha carreira", diz Edson Gomes
Adão Negro apresenta show do álbum 'Alma Leve' | Foto: Divulgação

Assim como Edson, a banda Adão Negro também é ‘figurinha carimbada’ na República do Reggae. Desta vez, Serginho, Guima e Aurelino apresentam as canções do recém-lançado álbum ‘Alma Leve’. O vocalista Sérgio Nunes enfatiza que o público já aprovou o novo trabalho.

“Além dos grandes sucessos, vamos dar uma atenção especial às canções do Alma Leve, que percebemos, pelas redes sociais, já terem caído no gosto do público. São vídeos, áudios e mensagens escritas em que eles cantam com a gente as músicas Acende a Vela, Caia na Real e a faixa-título Alma Leve”, diz ele.

Os ingressos para a República do Reggae variam de R$ 77 a R$ 99 e estão à venda nos balcões de ingressos dos shoppings.

adblock ativo

Publicações relacionadas