Menu
Pesquisa
Pesquisa
Busca interna do iBahia
HOME > ECONOMIA
Ouvir Compartilhar no Whatsapp Compartilhar no Facebook Compartilhar no X Compartilhar no Email
02/06/2023 às 21:18 - há XX semanas | Autor: Welton Máximo | Agência Brasil

ECONOMIA

Dólar cai para R$ 4,95 e atinge menor valor em duas semanas

Bolsa sobe 1,8% e chega a maior nível desde fim de janeiro

dólar voltou a cair para abaixo de R$ 5 e atingiu o menor valor em pouco mais de duas semanas
dólar voltou a cair para abaixo de R$ 5 e atingiu o menor valor em pouco mais de duas semanas -

O dólar voltou a cair para abaixo de R$ 5 e atingiu o menor valor em pouco mais de duas semanas. A Bolsa de Valores (B3) subiu quase 2% e chegou ao maior nível desde o fim de janeiro.

O dólar comercial encerrou esta sexta-feira, 2, vendido a R$ 4,953, com queda de R$ 0,054 (-1,07%). A cotação iniciou a sessão estável, mas despencou após a abertura do mercado norte-americano. Na mínima do dia, por volta das 11h, a moeda chegou a ser vendida a R$ 4,94.

No menor valor desde 17 de maio, o dólar acumula queda de 2,37% nos dois primeiros pregões de junho. Em 2023, a divisa caiu 6,19%.

Ações em alta

No mercado de ações, o dia também foi marcado pela euforia. O índice Ibovespa, da B3, fechou aos 112.558 pontos, com alta de 1,8%. O indicador atingiu o maior nível desde 31 de janeiro, impulsionado por ações de mineradoras e de petroleiras, que subiram por causa de dados econômicos favoráveis na economia chinesa.

Com os ganhos dos últimos dois dias, o Ibovespa marcou a sexta semana seguida de alta. Esse é o melhor desempenho acumulado desde o período entre o início de novembro e a metade de dezembro de 2020, quando o mercado financeiro global reagia à eleição do presidente norte-americano, Joe Biden, e ao início da recuperação da atividade econômica após a fase mais aguda da pandemia de Covid-19.

Em todo o planeta, o mercado financeiro global teve um dia de trégua. Nos Estados Unidos, a aprovação pelo Senado do acordo que amplia o teto da dívida pública por dois anos eliminou as tensões acumuladas nos últimos dias.

Juros

Mesmo com a divulgação de que os Estados Unidos geraram mais empregos que o esperado em maio, aumentaram as apostas de que o Federal Reserve (Fed, Banco Central norte-americano) manterá os juros entre 5% e 5,25% ao ano no próximo encontro. Na China, a preparação de medidas de estímulo ao mercado imobiliário resultou em valorização das commodities (bens primários com cotação internacional), que beneficiou países emergentes como o Brasil.

Agora, a Agência Brasil está dando as matérias sobre o fechamento do mercado financeiro apenas em dias extraordinários. A cotação do dólar e o nível da bolsa de valores não são mais informados diariamente.

Assuntos relacionados

Ações bolsa de valores dólar economia Juros queda

Compartilhe essa notícia com seus amigos

Compartilhar no Email Compartilhar no X Compartilhar no Facebook Compartilhar no Whatsapp

Tags:

Ações bolsa de valores dólar economia Juros queda

Repórter cidadão

Contribua para o portal com vídeos, áudios e textos sobre o que está acontecendo em seu bairro

ACESSAR

Assuntos relacionados

Ações bolsa de valores dólar economia Juros queda

Publicações Relacionadas

A tarde play
dólar voltou a cair para abaixo de R$ 5 e atingiu o menor valor em pouco mais de duas semanas
Play

Chefe Dani Façanha mostra como fazer siri de forma sofisticada

dólar voltou a cair para abaixo de R$ 5 e atingiu o menor valor em pouco mais de duas semanas
Play

Shopping abre às 6h e recebe grande movimento em Salvador; veja

dólar voltou a cair para abaixo de R$ 5 e atingiu o menor valor em pouco mais de duas semanas
Play

Feira Baiana de Agricultura Familiar terá produtos de diversas regiões

dólar voltou a cair para abaixo de R$ 5 e atingiu o menor valor em pouco mais de duas semanas
Play

Sites ajudam consumidores a economizar na hora da compra; veja vídeo

x

Assine nossa newsletter e receba conteúdos especiais sobre a Bahia

Selecione abaixo temas de sua preferência e receba notificações personalizadas

BAHIA BBB 2024 CULTURA ECONOMIA ENTRETENIMENTO ESPORTES MUNICÍPIOS MÚSICA POLÍTICA