Indústria baiana tem queda de - 4,1% em agosto de 2023 | A TARDE
Atarde > Economia

Indústria baiana tem queda de - 4,1% em agosto de 2023

Nove dos 15 locais pesquisados pelo IBGE apontaram taxas positivas no setor industrial no mês pesquisado

Publicado terça-feira, 10 de outubro de 2023 às 15:37 h | Atualizado em 10/10/2023, 17:50 | Autor: Carla Melo
O setor apresentou uma variação positiva de 0,4% em cenário nacional, na série com ajuste sazonal
O setor apresentou uma variação positiva de 0,4% em cenário nacional, na série com ajuste sazonal -

A indústria na Bahia registrou queda de -4,1% em agosto em comparação com julho de 2023, enquanto o setor apresentou uma variação positiva de 0,4% em cenário nacional, na série com ajuste sazonal. Os dados são da Pesquisa Industrial Mensal Regional (PIM Regional) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Nove dos 15 locais pesquisados pelo IBGE apontaram taxas positivas no setor industrial no mês pesquisado, são eles Amazonas (11,5%), Espírito Santo (5,2%), Rio Grande do Sul (4,3%), Paraná (3,5%), São Paulo (3,0%), Rio de Janeiro (1,7%), Goiás (1,0%), Mato Grosso (0,6%) e Santa Catarina (0,5%).

Bahia apresentou a segunda queda mais intensa no mês. O Pará lidera com -9,0%. Atrás do estado baiano estão o Ceará (-3,8%), Pernambuco (-1,7%), Região Nordeste (-1,4%) e Minas Gerais (-0,7%). Com este último levantamento, o estado acumula perda de 9,7% em dois meses consecutivos de redução na produção.

A média móvel trimestral da indústria foi de -0,1% no trimestre encerrado em agosto e nove dos 15 locais pesquisados apontaram taxas negativas, em destaque o Pará (-4,7%), Ceará (-3,2%), Bahia (-2,9%), Região Nordeste (-2,5%) e Amazonas (-1,3%). Frente a agosto de 2022, houve altas em 11 dos 18 locais pesquisados, com Rio Grande do Norte (49,8%) e Espírito Santo (26,3%) à frente.

Na comparação com agosto de 2022, a indústria avançou 0,5% em agosto de 2023, com altas em 11 dos 18 locais pesquisados: Rio Grande do Norte (49,8%) e Espírito Santo (26,3%), Mato Grosso (8,5%), Goiás (5,6%), Rio de Janeiro (3,9%), Pernambuco (2,7%), Amazonas (2,7%), Rio Grande do Sul (0,9%), São Paulo (0,9%), Minas Gerais (0,7%) e Santa Catarina (0,2%).

Bahia (-7,6%), Região Nordeste (-6,1%), Mato Grosso do Sul (-1,1%), Paraná (-0,9%) e Maranhão (-0,1%) mostraram os demais resultados negativos nesse mês.

No indicador acumulado para o período janeiro-agosto de 2023, frente a igual período do ano anterior, a redução verificada na produção nacional (-0,3%) alcançou nove dos 18 locais pesquisados. A Bahia representou uma queda de -4,1%, e no acumulado nos últimos 12 meses variou de -4,4% para –5,3%.

Publicações relacionadas

MAIS LIDAS