Inflação e juros altos tornam renda variável ainda mais imprevisível

Em junho, bolsa teve queda recorde de 11,5% e principal índice acumula perda de 6%

Publicado segunda-feira, 11 de julho de 2022 às 06:15 h | Atualizado em 10/07/2022, 19:48 | Autor: Ruan Amorim e Leilane Suzarte*
Uitan Maciel  recomenda diversificação ao investir
Uitan Maciel recomenda diversificação ao investir -

No primeiro trimestre de 2022, a bolsa de valores brasileira (B3) conseguiu se destacar em meio às concorrentes internacionais. Até março, o Ibovespa (principal indicador do desempenho médio das cotações das ações negociadas na B3) conseguiu uma alta de 14,48%. Agora, o quadro mudou –, coisa comum quando se trata de renda variável.

Em junho, a bolsa teve uma queda recorde de 11,5%, o que fez o principal índice acumular uma desvalorização de 5,99% no primeiro semestre. Para julho, especialistas não acreditam em um cenário muito diferente do mês anterior, por isso, quem quer investir tem que tomar alguns cuidados para não ter grandes prejuízos e comprometer as finanças. 

De acordo com o estrategista da RB Investimentos, plataforma que faz parte parte da Orix, empresa multinacional presente em 37 países, Gustavo Cruz, por estar perto das eleições e pelos principais bancos centrais no mundo estarem subindo as taxas de juros, o que contribui para uma instabilidade intensa da bolsa, quem aplicar  dinheiro nela tem que revisar o perfil dos investimentos com cautela. Isso não só no mês de julho, mas em todo semestre. 

Segundo o especialista da RB, essa análise é importante porque muitas pessoas começaram a investir na renda variável nos últimos anos por conta da renda fixa estar pagando muito menos (quando a Selic estava baixa), mas sem fazer uma avaliação adequada se o perfil se encaixava nesse tipo de investimento.  

“O ideal é que essas pessoas revisem agora e tenham certeza que possuem um perfil mais arrojado ou moderado para o arrojado, pois a volatilidade não vai passar. A gente vai continuar tendo oscilações fortes no negativo e outros meses no positivo. Eu entendo que só no final do ano, quando há probabilidade das discussões sobre as eleições diminuírem,  a renda variável alcance um momento mais tranquilo.  Antes disso, é muito mais difícil”, esclarece Cruz.

Dentro do mundo das ações, o perfil de investidor é uma espécie de diagnóstico  que identifica as preferências e expectativas em relação aos investimentos. Em boa parte das corretoras, há três possibilidades de perfis: o conservador, que diz respeito ao investidor que prioriza investimentos de menor risco; o moderado, que, apesar de manter forte interesse pela segurança, está disposto a abrir mão dela para ter rendimentos melhores, e o arrojado, esse último é o mais tolerante ao risco, ou seja, está mais aberto a investir na bolsa. 

Para quem nunca investiu, mas pretende aplicar o dinheiro em ações nesse período de instabilidade da bolsa, o professor de finanças e mercado de capitais e trader de renda variável, Uitan Maciel, recomenda buscar conhecimento sobre o tema, estudar e aprender sobre investimentos. 

“É importante buscar orientação com profissionais qualificados e certificados, assim como também duvidar de conteúdos publicizados nas redes sociais, que muitas vezes são de influenciadores que não atuam na área, mas dão dicas sobre o tema, além disso, é essencial diversificar os investimentos”, diz Maciel. 

Prós e contra da bolsa

Para além das eleições brasileiras, a inflação a nível global tem impactado a bolsa de forma negativa. Nesse contexto, segundo Maciel, existe um movimento tanto de empresas quanto de pessoas físicas a migrar para ativos de menor risco, isso, por sua vez, não é necessariamente ruim. “Vale destacar que esse mesmo cenário que estamos vivenciando traz consigo boas oportunidades. Cabe agora a cada investidor analisar e tomar a decisão se é ou não o momento de entrar na bolsa”, destaca o professor.

Especialmente para quem tem foco no longo prazo e busca ter alto retorno financeiro, a bolsa de valores pode ser uma ótima opção. Porém, são muitos os riscos a serem considerados na hora de investir em ações. Para entender melhor sobre isso, o especialista trader de renda variável explica as vantagens e desvantagens desse mercado financeiro.

“Como fator positivo destaco a possibilidade de ganhos superiores à renda fixa. Não estou dizendo aqui que é fácil ou garantido, porém é possível. Como fator negativo, existe o risco de poder perder grandes quantias de capital quando uma alocação não seguir como esperado e quando não é acionado nenhum mecanismo de proteção para minimizar essas perdas”, esclarece Maciel.

Em meio ao cenário de incerteza do mercado financeiro, saber montar uma carteira de ações é essencial para vencer na bolsa de valores. Segundo o estrategista Gustavo Cruz, para julho, a carteira da RB Investimentos recomenda  “tanto empresas que têm geração de caixa muito sólida quanto também aquelas que são novas, e mostram tendência de ganhos maiores, e empresas que tenham o comércio voltado para exterior, o que ajuda a ficar mais distante dos prejuízos do período eleitoral na bolsa”. 

“A gente tem priorizado essa estratégia de olhar empresas que não dependam tanto do Brasil. A gente tem a Minervo na carteira, a Vale, que tem uma operação bem voltada para fora, e a Gerdau também. Essas empresas serão beneficiadas caso a China volte a reabrir de forma mais definitiva o comércio, que por sua vez, impulsiona a economia”, enfatiza o analista da RB Investimentos.

Por enquanto, o governo chinês anunciou, no mês passado, a reabertura gradual do comércio. Devido a extensos períodos de lockdown desde o segundo trimestre, as empresas chinesas sofreram bastante no âmbito econômico e de investimentos, assim como as brasileiras, cujos negócios dependem de interações comerciais com a China. 

Agora, com a retomada, essas empresas se valorizam ainda mais em termos de mercado. Nesse contexto, investir em empresas que são financeiramente sólidas também é  a recomendação do diretor de renda variável na SVN Investimentos, escritório de investimento credenciado à XP Investimentos, corretora de valores especializada no modelo de assessores de investimentos independentes, André Luzbel, 34. De acordo com o diretor, o mês de julho é uma oportunidade para investir em empresas que, mesmo nesse cenário crítico de inflação alta, conseguem repassar preços.

“Nesse quesito, temos empresas de commodities, siderúrgicas, papel de celulose e do setor bancário, uma vez que conseguem repassar preço e ganham com os juros mais altos. Além disso, empresas ligadas à infraestrutura, seja saneamento ou energia elétrica são alternativas também. Desde a queda da bolsa, o nosso foco tem sido esse tipo de investimento”, diz Luzbel.

Em meio à guerra na Ucrânia e uma eventual retomada da gigante asiática, o preço das commodities podem subir. Sendo assim, dentro desse nicho,  Luzbel cita empresas que podem ser possibilidades de investimento para esse mês. “Nesse setor, a gente pensa em empresas como Suzano, Vale e Gerdau. Mas também é importante focar em empresas que estão fora desse campo, como o Banco do Brasil, Bradesco, e a Sabesp, que pode ser privatizada a depender dos rumos eleitorais de São Paulo”, explica Luzbel.

*Sob a supervisão do jornalista Fábio Bittencourt

Publicações relacionadas