adblock ativo

Região de Guanambi ganha projeto de irrigação

Publicado segunda-feira, 30 de junho de 2014 às 09:38 h | Atualizado em 30/06/2014, 09:38 | Autor: Juliana Brito
Elmo Vaz, Jaques Wagner
Elmo Vaz, Jaques Wagner -
adblock ativo

A região de Guanambi vai ganhar um perímetro irrigado, com perspectiva de beneficiar 40 mil pessoas da localidade. O Projeto de Irrigação Iuiú, da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf), tem potencial para 30 mil hectares e pode ajudar a resgatar a agricultura nessa área do semiárido.

O perímetro vai abranger os municípios de Malhada, Iuiú e Sebastião Laranjeiras, com captação de água na altura de Malhada.

O prefeito de Guanambi, Charles Fernandes, comemora a possibilidade do projeto sair do papel, após dez anos parado. "O Vale do Iuiú será o maior projeto de irrigação do Norte e Nordeste, não tenho dúvidas. Esse projeto será a redenção para o desenvolvimento da região", afirma.

A área, que já foi uma grande produtora de algodão no Nordeste até o início dos anos 2000, devido às sucessivas secas e aos ataques de pragas, hoje privilegia a pecuária. A intenção do projeto é ajudar a resgatar a agricultura.

Identificar

Novos estudos encomendados pela companhia deverão identificar atividades que sejam de fácil acesso técnico para as comunidades locais e que forneçam respostas econômicas efetivas para o desenvolvimento da região.

Um primeiro, elaborado em 1997, apontou que produtos como grãos e sementes, frutas, legumes e tubérculos deveriam compor o modelo de exploração agrícola.

O presidente da Codevasf, Elmo Vaz, assinou, há três semanas, a ordem de serviço para a atualização do estudo de viabilidade e consolidação do anteprojeto de engenharia, que deve ser concluído em um ano.

O próximo passo será a licitação da empresa para executar a obra de implantação do projeto. A companhia diz que ainda não há uma previsão de início de funcionamento do perímetro. O prefeito espera que em 2016 sejam plantadas as primeiras lavouras irrigadas na área.

A princípio serão cinco mil hectares irrigados, com expectativa de geração de cinco mil empregos diretos. Fernandes acredita que quando atingir entre 15 e 20 mil hectares, já se tornará consolidado o suficiente para desenvolver a região.

O projeto vai abranger agricultores assentados, pequenos agricultores e empresários. A área já tem 180 agricultores assentados, em um terreno do Incra, que serão inicialmente atendidos.

adblock ativo

Publicações relacionadas