Bahia sofre virada do Athletico-PR e cai nas oitavas da Copa do Brasil

Com o resultado, o Esquadrão se concentra agora exclusivamente na Série B

Publicado terça-feira, 12 de julho de 2022 às 22:36 h | Atualizado em 13/07/2022, 03:30 | Autor: Luiz Teles
Tricolor teve oportunidade de matar o jogo, mas não aproveitou
Tricolor teve oportunidade de matar o jogo, mas não aproveitou -

O Bahia até ensaiou voltar para Salvador com a vaga nas quartas de final da Copa do Brasil, mas após fazer 1 a 0 no primeiro tempo e fazer um bom jogo contra o Athlético-PR, o Tricolor, que havia perdido o duelo de ida por 2 a1, na Fonte Nova,  acabou levando a virada no fim, perdendo novamente pelo mesmo placar, agora na Arena da Baixada.

O resultado deixou o time sem a vaga, mas a performance contra um dos principais times da Série A deixa boa impressão para a torcida, que agora aguarda o jogo contra o Guarani, sábado, pela Série B, com a esperança do time reencontrar o futebol competitivo que o manteve até aqui dentro do G-4 da competição desde a primeira rodada.

O jogo

Em muitas opções para a frente-de-zaga após o mal desempenho da dupla Patrick-Miquéias contra o Vila Nova, o técnico Enderson Moreira mudou a estrutura do time para enfrentar o Athlético, atuando com três zagueiros, com Gabriel Xavier ao lado de Luiz Otávio e Ignácio. O treinador alterou também o ataque. Sem poder contar com Rildo, que já havia atuado na Copa do Brasil pelo Grêmio, ele promoveu Raí à titularidade, mas também sacou Rodallega do time, com Davó voltando a fazer a função de ‘falso 9’.

E depois de um início cauteloso de ambos os lados, o Bahia mostrou suas ‘novas credenciais’ logo aos 4 minutos. Em escanteio cobrado por Mugni, Gabriel Xavier desviou de calcanhar no primeiro pau em direção ao meio da área. Davó correu até a bola e de ‘puxeta’, mandou no ângulo, deixando o goleiro sem reação.

O golaço na largada deu tranquilidade ao Tricolor e deixou o Furacão desnorteado. Explorando os contra-ataques, num jogo em que Davó ganhou quase todos confrontos com os zagueiros, o Bahia dominou toda a primeira etapa e por pouco não ampliou a vantagem.

Aos 12, Davó ganhou disputa com Hugo Moura na área e rolou Gabriel Xavier mandar por cima do travessão, perdendo uma chance incrível. Aos 18, o mesmo Davó venceu o duelo com dois defensores, driblou Pedro Henrique na área e, desequilibrado pelo zagueiro, chutou em cima de Bento. 

Aos 24, Davó, novamente em jogada individual, girou na marcação e, da entrada da área, bateu fraco, nas mãos de Bento. Enquanto isso, o Athlético só chegava à área do Bahia com bola alçadas de longa distância, com o trio de zagueiros ganhando todas pelo alto. 

Sem alterações, o Esquadrão voltou para a etapa final com a mesma formação e estratégia. Mesmo com as muitas alterações promovidas por Felipão no Athlético, o Bahia seguiu com total domínio das ações, sem ser ameaçado e sempre levando perigo na transição rápida para o ataque. Logo a um minuto, Matheus Bahia recebeu lindo passe de Daniel, entrou na área e chutou cruzado. Bento espalmou para o meio e André, de primeira, mandou o rebote por cima do travessão.

Só que quando alguns titulares apresentaram cansaço e Enderson Moreira iniciou seu repertório de substituições, o Esquadrão se desorganizou ofensivamente e já não mais chegava ao ataque com perigo. Ao menos, na zaga, o time não sofria com as linhas de cinco defensores e quatro meio-campistas que não deixavam o Furacão se aproximar. Quando já parecia que a vaga estava fadada a ser decidida nos pênaltis, o Athlético chegou ao empate aos 32, numa cobrança de escanteio que contou com um cochilo da defesa e um leve desvio de Erik no primeiro pau, e uma bola sem defesa para Danilo.

No fim, com o Bahia todo lançado ao ataque, o time paranaense fez 2 a 1 em contra-ataque que Terans entrou sozinho pelo meio e tocou para Rômulo, aos 48, fazer o gol livre de marcação.

FICHA TÉCNICA:

Athletico-PR 2 x 1 Bahia - 2º jogo das oitavas de final da Copa do Brasil

Local: Arena da Baixada, em Curitiba

Árbitro: Marcelo de Lima Henrique (CE)

Assistentes: Nailton Júnior de Sousa Oliveira (CE) e Eduardo Gonçalves da Cruz (MS)

VAR: Rodrigo Nunes de Sá (RJ)

Cartões amarelos: Gabriel e Jacaré (Bahia); Pablo (Athletico)

Gols: Davó (Bahia); Erick e Rômulo (Athletico)

Athletico-PR - Bento; Khellven, Pedro Henrique (Matheus Felipe), Nico e Abner (Pedrinho); Erick, Hugo Moura e Terans; Canobbio (Rômulo), Pedro Rocha (Cuello) e Pablo (Matheus Fernandes). Técnico: Felipão.

Bahia - Danilo Fernandes; André (Douglas Borel), Gabriel (Zé Vitor), Ignácio, Luiz Otávio e Matheus Bahia; Patrick, Mugni e Daniel (Rodallega); Raí (Jacaré) e Matheus Davó (Marcelo Ryan). Técnico: Enderson Moreira.

Publicações relacionadas