adblock ativo

Richarlyson dá a volta por cima no Vitória

Publicado quarta-feira, 24 de setembro de 2014 às 05:49 h | Atualizado em 23/09/2014, 20:49 | Autor: Moysés Suzart
Richarlyson
Richarlyson -
adblock ativo

Da tristeza, à braçadeira de capitão. O Vitória, que um dia foi o início de carreira do promissor atacante Alecsandro, atualmente serviu também para superação de outro membro da família, neste caso o irmão Richarlyson. Desanimado, o volante pensou desistir da carreira após uma contusão no Atlético Mineiro. Porém, não parou e agora revive a boa fase no Leão e, de quebra, assumiu o  status de capitão da nau rubro-negra.

"Eu tive dez meses muito difíceis na minha carreira. Eu nunca tinha passado por uma contusão daquela. Vou falar uma coisa aqui que eu acho que não falei ainda: pensei em parar de jogar futebol. Eu senti que não estava podendo dar o meu máximo, que não estava podendo fazer o que eu mais sei, que é jogar futebol", revela Richarlyson, que passou uma temporada inteira se recuperando de uma lesão no joelho esquerdo, em 2013.

Entretanto, veio a proposta do Leão. O atual capitão do Vitória titubeou para vir ao clube baiano, mas resolveu ouvir conselhos de sua mãe, Dona Maria de Lurdes. "A minha mãe falou um negócio importante: 'Deus não te levou ao Vitória para te envergonhar'. Eu tenho muita fé. Graças a Deus e aos profissionais daqui, não sinto mais dor no meu joelho. Não foi milagre. Foi a palavra de minha mãe, minha perseverança e os profissionais que trabalham no Vitória", disse.

Titular absoluto, o início do atleta na Toca não foi dos melhores. Ainda sem ritmo, não foi bem aproveitado pelo técnico Jorginho, sendo substituído nos cinco jogos que atuou, incluindo o último, contra o São Paulo, trocado ainda no primeiro tempo pelo ex-treinador. Depois, sequer foi para o banco até a vinda de Ney Franco. Com o novo comandante, Richarlyson ainda ganhou o status de capitão da equipe, aprovado e elogiado por todos no elenco.

"É um privilégio muito grande ser o representante deste elenco. Ney Franco é um grande profissional e  viu que poderia ter em mim um líder dentro de campo. Fiquei feliz e gosto desta responsabilidade. Estou pronto pra ser bonzinho ou dar bronca quando precisar", brinca.

Diálogo

No último jogo contra o Bahia, o que se viu foi um Richarlyson que controlava o lado psicológico e dava injeção de ânimo nos colegas. No momento da reunião, antes do início da partida, Ricky, como é conhecido no elenco, gritava e pedia dedicação. Todos observavam atentos. Deu certo.

"É difícil falar em tranquilidade agora, mas precisamos disso. Tenho tentado buscar o melhor de todos os atletas. As palavras surgem naturalmente. Quando falamos com a verdade,  sempre sai algo positivo. É bom saber que eles gostam da liderança e espero que todos possam captar meu esforço em ajudar a equipe", completou.

adblock ativo

Publicações relacionadas